Menu
quarta, 20 de outubro de 2021
Busca
BONITO ÁGUAS GREEN WEEK
DECISÃO DO JUIZ

Suspeitos tiveram a intenção de matar adolescente em lava a jato

17 Fev 2017 - 09h12Por Correio do Estado

Os suspeitos envolvidos na agressão a adolescente de 17 anos em lava a jato, que morreu na Santa Casa na terça-feira (14), devem responder por homicídio doloso (com intenção). Esse foi o entendimento do juiz da 7ª Vara Criminal de Campo Grande, Marcelo Ivo de Oliveira.

Ele decidiu hoje à tarde por declinar da competência do caso e encaminhou o inquérito para uma das varas do Tribunal do Júri, que atua em casos de homicídio e não de agressão seguida de morte, por exemplo.

"O pedido de prisão preventiva dos acusados foi encaminhado à 7ª Vara Criminal, em que o magistrado atua como titular. No entanto, apesar de o caso estar sendo investigado como um crime de lesão corporal de natureza grave, o juiz entende que a situação se trata de um homicídio inicialmente tentado e agora consumado, em razão da morte da vítima", informou nota do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

O magistrado classificou a atitude do dono do lava a jato e do funcionário, que seguraram o adolescente e o agrediram com uma mangueira de ar, causando-lhe perda de parte do intestino grosso, de "imbecilidade oceânica".

O adolescente morreu depois de ter ficado 11 dias em recuperação. O crime aconteceu em 3 de fevereiro. A morte foi causada por sangramento contínuo na altura do estômago, seguido de parada cardiorrespiratória.

"Não há como alegarem que o ato por eles praticado não poderia causar a morte de uma pessoa”, escreveu o juiz em seu despacho.

“Assim, quando alguém direciona uma mangueira de ar comprimido contra o corpo de outrem, pode até dizer que não se está tentando matar o outro, mas qualquer pessoa minimamente sana sabe que injetar uma mangueira de ar comprimido em alguém, provavelmente causará a sua morte ou, ao menos, sérias lesões”, acrescentou.

PRISÃO

A prisão dos dois suspeitos do crime agora será apreciada pelo magistrado de uma das varas do Tribunal do Júri. O local onde aconteceu o crime foi incendiado no dia 8 de fevereiro, durante a madrugada.

O dono do estabelecimento, bem como o funcionário, que era amigo de infância da vítima, seguem em local protegido por conta do risco de repressões.

O processo tramita em segredo de justiça porque envolve adolescente. Por isso também não é divulgado os nomes dos envolvidos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Foto: Ivinotícias FATALIDADE
Homem morre após sofrer descarga elétrica de 34 mil volts em MS
CNH INFRAÇÃO NAS REDES SOCIAIS
Postar infração de trânsito nas redes sociais pode gerar multa de até R$ 30 mil e CNH cassada
CASO DE POLÍCIA
Dupla que abatia bois para furtar a carne em fazenda de MS, são detidos por funcionários
SAIBA COMO FAZER
Teve prejuízos materiais durante o vendaval? Saiba o que fazer
GUARDA MUNICIPAL DE BONITO NO GABINETE BONITO - MS - NO GABINETE
Trutis garante emenda de R$ 180 mil para compra de equipamentos para Guarda Municipal de Bonito
Vítima foi levada para a Unidade Básica de Saúde do município, onde foi constatada a morte (Foto: arquivo / Liga da Justiça) FATALIDADE
Jovem morre após receber descarga elétrica em área rural
MORTE A ESCLARECER
Idoso é encontrado morto no sofá, amarrado pelas mãos e com sangramento na cabeça
Goianos ficaram desaparecidos após naufrágio no Pantanal  Foto: Arquivo Pessoal/Thamiris Furquim NAUFRÁGIO NO RIO PARAGUAI
Marinha e Polícia Civil investigarão naufrágio que matou 7 pessoas no Pantanal
PMA DE JARDIM AÇÃO DA PMA DE JARDIM
Pescadores recebem PMA a tiro em acampamento de pesca no rio Miranda
Mais dois corpos foram achados logo nas primeiras horas de buscas neste sábado DURANTE TEMPORAL
Chalana vira com 21 pessoas durante vendaval, 06 corpos já foram encontrados no rio Paraguai