Menu
segunda, 18 de outubro de 2021
Busca
BONITO ÁGUAS GREEN WEEK
DÁ PRA ACREDITAR?

Pastor faz fiéis beberem óleo de motor e o motivo é inusitado

21 Jan 2017 - 09h13Por uol

Um pastor sul-africano vem causando polêmica em seu país por fazer os fiéis de sua igreja beberem óleos e fluidos para motores de carros durante suas pregações. Theo Bongani Maseko, que se autointitula profeta da igreja Ministérios do Sopro de Cristo, confirmou que usa os líquidos em seus cultos.

Em entrevista ao jornal "The Star", ele afirmou que o óleo para motores "demonstra o poder de Deus". "Quando oramos sobre aquele líquido, seu veneno vai embora. Por isso, não faz mal algum. Nada aconteceu e ninguém foi parar no hospital", disse. Maseko afirma que quem bebeu o óleo foi salvo e curado.

No entanto, uma comissão do governo que promove a liberdade de culto deve abrir uma investigação sobre o incidente. A presidente do órgão, Thoko Mkhwanazi-Xaluva, afirmou que existe um abuso de práticas irresponsáveis em igrejas sul-africanas.

"Muita gente vai acabar morrendo. Por sorte, nada aconteceu. Mas a vida de vários está em risco", disse.

Nos últimos tempos, vários pastores foram alvo de denúncias na África do Sul por promoverem práticas como comer grama e insetos e beber líquidos tóxicos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sorteio
Mega-Sena acumula novamente e prêmio vai a R$ 40 milhões
GREVE DOS CORREIOS
Mesmo em greve, Correios diz que encomendas seguem sendo entregues em MS
TODO PAÍS
Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado
Sorteio
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 27 milhões hoje
Sorteio
Mega sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 27 milhões
Sorteio
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 12,5 milhões nesta quinta-feira
COVID-19
Avó de Michelle Bolsonaro morre de Covid-19 em hospital público do DF
Sorteio
MEGA SENA: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 12,5 milhões
Sorteio
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 11 milhões nesta terça-feira
Detran
Detran-MS alerta sobre prazos que estão suspensos por conta da pandemia