Menu
quarta, 3 de maro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO
BONITO - MS - ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Justiça Eleitoral supende divulgação de pesquisa do candidato Odilson Soares do PSDB em BONITO

24 Set 2016 - 00h09Por BONITO INFORMA - REDAÇÃO

A Juíza Eleitoral da 30ª Zona Eleitoral, do município de Bonito, Adriana Lampert, concedeu na noite desta sexta-feira (23) uma liminar para suspender a pesquisa encomendada por Odilson Soares (PSDB), candidato a prefeito de Bonito pela coligação “SERIEDADE E TRABALHO”, por verificar sérios indícios de fraude.

A pesquisa encomendada por Odilson Soares é da empresa “FOCCUS INSTITUTO DE PESQUISA” e foi publicada momentos após o candidato Josmail Rodrigeus (PR) ter publicado uma pesquisa registrada da empresa ‘London Pesquisas’, que apontou números bem diferentes: Josmail com 45,83% e Odilson com 36,31%.

A empresa de pesquisa contratada pelo Odilson, a “FOCCUS INSTITUTO DE PESQUISA” foi aberta em 19/08/2016, isto é, a menos de um mês da data do registro da pesquisa no TSE (15/09/2016), a empresa também não possui página na internet e que sua sede funciona em um imóvel residencial, sem placa ou qualquer indicativo comercial, localizada em Santa Bárbara D’Oeste-SP.

Além disso, os parâmetros técnicos utilizados no levantamento dos dados junto aos eleitores não estariam conforme determina a legislação eleitoral.

Na decisão, a magistrada eleitoral determinou:  “que a pesquisa que indica Odilson 45 com 46% de intenção de votos encontra-se suspensa por determinação da Justiça Eleitoral nos autos da Representação Eleitoral nº 0000148-20.2016.6.12.0030.”

A Juíza decretou, liminarmente, a suspensão da divulgação dos resultados da pesquisa fraudulenta e determinou que o candidato Odilson Soares utilize os mesmos meios de comunicação em que foi divulgada a pesquisa (internet, redes sociais e panfletos) para esclarecer aos eleitores sobre as falhas existentes na pesquisa, visando a resguardar a liberdade e a isenção do voto e a lisura do pleito.

JUSTIÇA TAMBÉM PEDE PARA ODILSON RETIRAR DO FACEBOOK POSTAGEM DE ACUSAÇÃO DA PESQUISA DE JOSMAIL

A Justiça Eleitoral de Bonito ordenou também na noite desta sexta-feira (23) que o candidato da coligação ‘Seriedade e Trabalho’, Odilson Arruda (PSDB) exclua postagem veiculada em seu facebook, em que afirma ser fraudulento o instituto que realizou pesquisa eleitoral apontando seu opositor, Josmail Rodrigues (PR), em vantagem na disputa, com 45,83% contra 36,31% do Odilson.

Na postagem feita na quinta-feira (22), Odilson publica uma montagem dizendo que o instituto London, que realizou a pesquisa, seria fraudulento. E, para tentar convencer que isso era verdade, fez menção a uma sentença proferida em outra cidade (Ivinhema), levando os eleitores a acreditarem que a sentença era de Bonito.

A Juíza de Bonito, Adriana Lampert considerou que “a postagem reveste-se de caráter escuso, eis que se reveste de carga a induzir o eleitor a erro, uma vez que notadamente tal decisão é de Juízo diverso”.

Para cumprir a ordem judicial, Odilson deverá excluir essa postagem no prazo de 3 (três) horas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - PROJETO
Projeto Movimente Seu Bairro realiza programação em comemoração a semana da mulher em Bonito
PROJETO ILUMINA PANTANAL
Entenda como paineis solares vão garantir energia elétrica a 5 mil no Pantanal
MAIS VACINAS CHEGANDO
Ministério da Saúde envia sexta remessa com 27,8 mil doses de vacina contra o coronavírus para MS
luto CORONAVÍRUS EM MS
Mais 20 famílias choram em dia que covid tira a vida de homem de 32 anos em MS
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal terão energia elétrica
BONITO - ALERTA AOS MOTORISTAS
ATENÇÃO MOTORISTAS redobrar a atenção na entrada da rodovia do Quati em Bonito (MS)
SAQUE FGTS
Saque do FGTS paga novo grupo este mês; confira valores e calendário completo
FAKE NEWS
SES desmente fake news e esclarece vídeo de camas hospitalares guardadas no Albano Franco
BOLSA FAMÍLIA 2021
Veja o novo calendário de março do Bolsa Família a partir de R$ 89
TURISMO NO MS
Fundtur e IPF MS farão estudo inédito sobre a cadeia do turismo em Mato Grosso do Sul