Menu
BANNER ANNA
quarta, 26 de fevereiro de 2020
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO
Polêmica

Jogador que matou coruja recebe ameaças na Colômbia

3 Mar 2011 - 07h51Por G1

O jogador Luis Moreno, do Deportivo Pereira, revelou que sofreu ameaças na Colômbia, por conta do chute que deu em uma coruja durante uma partida do campeonato nacional. A ave morreu na madrugada de terça-feira.

- Ocorreu todo tipo de ameaça pelo telefone, tudo. Não era minha intenção machucá-la - afirmou o Luis Moreno em uma entrevista à rede de televisão local.

A coruja vivia no estádio da equipe adversária, e era considerada a mascote da equipe do Atlético Juniors. Após o chute, Moreno teve que sair de campo sob proteção policial.

- Está sendo difícil para mim e para minha família que está vivendo no Panamá e está com medo de todo este acontecimento - explicou Moreno.

A mãe do atleta também falou com a imprensa e concedeu uma entrevista às lágrimas.

- Sua intenção não foi matar o animal - defendeu.

Os dirigentes da Liga Colombiana prometeram punir o jogador pela agressão ao animal. Luis Moreno, por sua vez, visitou um zoológico do país onde prometeu fazer trabalhos voluntários.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COISAS DO MS
Sucuri de 7 metros é capturada por moradores na rua e vira assunto na cidade em MS
BONITO - MS - CARNAVAL ILEGAL
BONITO: Polícia fecha festa sem alvará e prende responsável por fornecer bebida alcoólica a menores
AÇÃO DA PMA
PMA autua dono de rancho pescando no rio durante a piracema
ETANOL MAIS BARATO
Com redução do imposto, Etanol fica em média R$ 9 centavos mais barato em MS
DROGAS
Caminhão com 400 kg de maconha que saiu de MS e apreendido em Brasília
INSCRIÇÕES
Programa Vale Universidade recebe inscrições no dia 3 de março
Achado de cadáver
Bombeiros localizam corpo de jovem que havia desaparecido em rio de MS
Campo Grande
Bebê nasce sem ânus em Campo Grande e família busca vaga para cirurgia
Capotamento
Caminhonete capota após aquaplanar na BR-359 em Coxim
ATENTADO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista