Menu
quarta, 21 de outubro de 2020
Busca
ZAP INFORMÁTICA

Fisco retém mais de 700 produtos comprados na web, incluindo remédio

13 Mai 2011 - 08h43Por Campo Grande News

Em 12 dias, 773 mercadorias apreendidas e recolhimento de ICMS de R$ 118 mil. São os primeiros resultados numéricos em Mato Grosso do Sul da mudança na cobrança de imposto sobre as vendas on-line, que agora devem recolher o tributo tanto para o Estado de origem quanto para o de destino. Entre os produtos parados, há até medicamentos para quimioterapia, segundo afirmou na tribuna da Assembleia Legislativa o deputado Antônio Carlos Arroyo (PR).

O deputado apresentou indicação pedindo providências para a liberação dos medicamentos com urgência, e argumento que são remédios isentos de tributação. O secretário de Fazenda, Mário Sérgio Lorenzetto, informou ao Campo Grande News que de fato houve a retenção de uma entrega, que envolvia outros medicamentos não isentos de tributo. Segundo ele, a liberação ocorreu no mesmo dia.

Os dados informados pelo secretário indicam que, desde o primeiro de maio, quando a medida começou a valer, a cada dia são feitas de 64 apreensões de produtos comprados na internet e que chegam ao estado sem atender o protocolo firmado entre 19 estados determinando o pagamento do ICMS para os dois estados envolvidos na transação.

A Secretaria de Fazenda faz a conferência nas transportadoras e mantém, nos Correios, uma unidade fiscal só para cuidar das encomendas vindas de outros estados.

 

Parado- Para o consumidor e para as empresas que fazem a entrega dos produtos, a nova regra está significando transtorno, pois os produtos ficam retidos até que se resolva o pagamento do tributo para Mato Grosso do Sul. Em apenas uma transportadora, a Mira, uma das maiores do setor, há 700 entregas por fazer, segundo informou o gerente, João Carlos de Souza.

Ele tem três carretas lotadas de produtos paradas, além de uma quantidade de mercadorias no pátio da empresa, aguardando o recolhimento do tributo. “Por causa disso, ficamos prejudicados, pois os caminhões ficam parados, tomando espaço, e os clientes aguardando suas compras”.

O reflexo disso, além do espaço ocupado o dia todo, é o telefone que não para de tocar, como relatou uma funcionária de outra transportadora, a Bras Press, onde há mais de 50 entregas esperando o recolhimento de ICMS. Os produtos a serem entregues revelam porque a venda na internet tomou proporções consideradas prejudiciais ao comércio local. Há brinquedos, itens de informática, geladeira, freezer, computadores, móveis embalados e até churrasqueiras embalados para serem entregues aos compradores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Instituto de Desenvolvimento de Bonito
IDB INFORMA: agentes do Sebrae vão reforçar biossegurança em Bonito no feriado de finados
DEPUTADOS CANDIDATOS A PREFEITO
Com 04 deputados sendo candidatos a prefeito, veja quem entra se caso ganharem as eleições
BOLETIM CORONAVÍRUS EM MS
Bonito registra mais 04 casos e no MS, jovem de 15 anos é uma das vítimas do covid nas últimas 24h
PREMIAÇÃO NO MS
Publicados no Diário Oficial mais 05 editais da Lei Aldir Blanc totalizando R$ 653 mil
BONITO - MS - TEM ÁGUA AÍ?
TEM ÁGUA AÍ?: Troca de bomba pode deixar 02 bairros sem água até às 17h em Bonito (MS)
Vacina está sendo desenvolvida pela China com o Butantan (Foto: Butantan/Divulgação) VACINA - TUDO CANCELADO
CORONAVAC: Bolsonaro atravessa acordo e avisa que não comprará vacina chinesa
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Estado licita mais uma obra de implantação do corredor rodoviário no Pantanal
ACIDENTE FATAL
Acidente entre carreta e motocicleta mata mulher de 22 anos em MS
VACINA NO MS - CORONAVÍRUS
Em reunião virtual com governadores, Ministério da Saúde anuncia distribuir vacina contra Covid-19
Frigolon em Santa Rita do Pardo. (Foto: Divulgação | Sebrae-MS) FRIGORÍFICOE CORONAVÍRUS
Com 17 casos de covid-19, frigorífico deve testar todos os funcionários