Menu
domingo, 5 de julho de 2020
BANNER ANNA
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO

Especialistas esperam mais abalos sísmicos no Japão nos próximos dias

11 Mar 2011 - 14h39Por Agência Brasil

O Japão pode sofrer com mais terremotos nos próximos dias, decorrentes do abalo sísmico de grande impacto registrado na madrugada de hoje (11), no horário de Brasília. O terremoto, de 8,8 graus na escala Richter, atingiu a costa nordeste, próxima a província de Miyagi, cerca de 400 quilômetros da capital Tóquio, provocou um tsunami que deixou um cenário de destruição.

De acordo com o geólogo da Universidade Estadual de Campinas Rogério Marcon, depois de um terremoto de grande intensidade ocorre uma sequência de pequenos tremores, que pode durar semanas, até que as placas tectônicas se acomodem novamente. Segundo o pesquisador, os novos abalos, no entanto, devem ser menos intensos.

"Já ocorreram por volta de 70 terremotos de magnitude 6 [na escala Richter] que devem perdurar por dias ou semanas, até as placas [tectônicas] se acomodarem na nova posição.", explicou Marcon. Esses tremores são pequenos ajustes das placas, menores do que o registrado de madrugada. Um terremoto com essa mesma magnitude é difícil acontecer no mesmo ponto".

Responsável por um aparelho que conseguiu captar, no Brasil, as ondas emitidas pelo terremoto, o geólogo explicou que tremores de terras são frequentes na área chamada Anel de Fogo, onde está o Japão. Mas que, mesmo preparados para isso, o tsnunami ultrapassou as expectativas e pegou de surpresa a população rural.

O professor do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB) Jorge França acrescentou que o impacto das ondas foi tão forte que ultrapassou diques construídos justamente para para contê-las. "Eles têm um sistema de preparo em quase toda a costa, mas que não conseguiu amortecer totalmente o impacto [do tsunami]. Ondas com altura maior que as barreiras passaram", afirmou.

Embora tenham sido registradas mortes e destruição em decorrência do abalo de hoje, os especialistas avaliam que o país toma medidas para proteger a população e a infraestrutura. O Japão é atingido por cerca de 20% dos terremotos acima de 6 graus registrados em todo o mundo.

"O Japão está preparado. Acompanhando o noticiário, observamos que poucos prédios caíram, ao contrário do que ocorreu no Haiti, no ano passado, que foi devastado. Nenhuma das construções deles, tampouco a população, estava preparada", afirmou o geólogo da Unicamp, ao lembrar da morte de pelo menos 200 mil pessoas no país do Caribe.

Há seis anos, um terremoto de 8,9 graus na escala Richter seguido por um maremoto deixou cerca de 230 mil mortos em 12 países banhados pelo Oceano Índico.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados  O autor da proposta, deputado Túlio Gadêlha ELEIÇÃO MUNICIPAL
Campanha eleitoral de 2020 deve ser proibido comícios e aglomerações
DOURADOS - ASSASSINATO
AGORA: Secretário Municipal é assassinado dentro de salão de cabeleireiro em Dourados
MORTES POR COVI-19
Mãe e filha morrem vítimas da Covid-19 em intervalo de três dias
GOVERNO DE MS
TÁ NA CONTA: saques de salários dos servidores estaduais já estão disponíveis
BONITO - MS - PRIMEIROS TURISTAS
Em Bonito, MS, com preços congelados, cidade já recebe os primeiros turistas
BONITO - MS - COVID-19
Bonito (MS) registra 10 novos casos na semana e secretaria alerta para medidas de segurança
Visão panorâmica da entrada da cidade de Dois Irmãos do Buriti (Foto: Edemir Rodrigues - Governo MS) SEM COVID-19
SEM COVID: 08 cidades de MS ainda não registraram casos de coronavírus
MORTES POR COVIV-19 EM MS
Mortes chegam a 107 em MS e secretário cogita lockdown
BARBÁRIE
BARBÁRIE: policial paraguaio mata filhos de 1 e 2 anos, sogros, cunhadas e se mata
COVID-19
MS se aproxima de 9,4 mil casos de coronavírus e soma 107 óbitos