Menu
quarta, 30 de setembro de 2020
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO

Corinthians e Santos fazem jogo morno e não saem do zero

9 Mai 2011 - 07h12Por Folha.com

No duelo entre o maior campeão paulista da história e o último vencedor do Estadual, Corinthians e Santos empataram sem gols no Pacaembu no primeiro duelo da decisão em um jogo insosso e que em nada lembrou uma final.

Agora, quem vencer na Vila Belmiro, no próximo domingo, será o campeão. Se houver um novo empate, os pênaltis decidirão o campeão. Para esta partida, o Santos não terá Paulo Henrique Ganso.

O começo foi marcado pela forma com que o Corinthians adiantou seu trio ofensivo formado por Jorge Henrique, Liedson e Dentinho. Os três marcavam a saída de bola santista, impedindo que Elano e Ganso não conseguissem armar as jogadas de ataque.

Com o passar do tempo, o time voltou a apresentar o seu grande problema da temporada, a falta de criatividade na hora de penetrar nas defesas adversárias. O defeito só não foi acentuado por causa da falta de ganância santista, que não conseguia ficar com a bola no campo de ataque e devolvia para o Corinthians.

O jogo, que foi morno, teve um minuto de bom futebol, quando o talento individual de Neymar e de Bruno César apareceu. Aos 23min, o camisa 11 santista invadiu a área, passou por Wallace e chutou na trave.

Na sequência, o 10 corintiano enfileirou a zaga adversária, mas na hora de marcar um golaço, pegou embaixo demais da bola e ela saiu por cima do gol de Rafael. Depois disso, a partida voltou a ficar monótono. Somente no fim do primeiro tempo, o Corinthians ameaçou pressionar de novo. Mas ficou só na ameaça mesmo.

O grande fato foi a contusão de Paulo Henrique Ganso, que sentiu uma lesão na coxa direita. Alan Patrick voltou no lugar do maestro santista no segundo tempo. Para piorar a situação da equipe da baixada, Ganso não deverá jogar no jogo de ida das quartas de final da Libertadores, na próxima quarta-feira, contra o Once Caldas, em Manizales, na Colômbia.

Na volta do jogo, o Corinthians teve uma boa chance com Bruno César. Só que o Santos cresceu, foi para cima e teve duas ótimas oportunidades. Sem Ganso em campo, Neymar assumiu a responsabilidade. Aos 8min, ele achou Danilo na área.

O volante tocou por cobertura na saída de Júlio César, mas Chicão salvou em cima da linha. Um minuto mais tarde, ele mesmo resolveu encarar a zaga corintiana. Passou por dois, tabelou com Alan Patrick e soltou uma bomba no travessão.

O Corinthians sentiu. Tite viu que era necessário mudar para manter o nível e o gás da equipe. Entraram Willian e Morais nos lugares de Dentinho e Bruno César, respectivamente. Na base da vontade, o time comandado por Tite cresceu. E teve boas chances para marcar, mas faltou qualidade na hora das conclusões.

O Santos se limitava a ficar na defesa, evitando desgastes desnecessários. E, quando tinha a bola, a entregava para Neymar, para que ele resolvesse.

Mas nem a vontade corintiana apresentado nos minutos finais da partida e nem a qualidade santista foram suficientes para que uma das duas equipes balançasse as redes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SALÁRIOS EM DIA
Governo de MS deposita salários de servidores nesta quinta-feira
BORA TRABALHAR
Frigorífico abre 80 vagas de emprego que vai de eletricista a desossador em MS
BONITO - MS - AÇÃO DA PMA NO RIO MIRANDA
ARRASTÃO NO RIO MIRANDA: 18 embarcações, com 29 pessoas, ação da PMA de Bonito (MS)
TOP 10 NO MS
TOP 10: Confira as 10 cidades de MS com calor de fritar ovos no asfalto
BONITO - MS - NOVO DECRETO
BONITO: Novo decreto suspende toque de recolher e autoriza retorno das aulas em escolas particulares
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
PASSO DA LONTRA: Nova passarela para pedestres sobre o Rio Miranda está 80% concluída
AUXÍLIO EMERGENCIAL DE R$ 300
AUXÍLIO DE R$ 300: Caixa começa a pagar nesta quarta-feira, confira o calendário
Foto: Reprodução/Instagram/Todos por Sansão AGORA É LEI
AGORA É LEI: Prisão de até 05 anos para maus-tratos contra cães ou gatos
COVID-19
Bonito registra mais 7 novos casos de covid-19
Achado de cadáver
Transexual é encontrada morta na Capital