Menu
tera, 18 de fevereiro de 2020
BANNER ANNA
Busca

Contag apresenta a Dilma reivindicações da agricultura familiar para safra 2011-2012

2 Abr 2011 - 14h03Por Agência Brasil

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) quer que o governo destine no Plano Safra 2011-2012 pelo menos o mesmo volume de recursos liberados para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) na temporada 2010-2011. No ciclo agrícola que está se encerrando agora, o Pronaf contou R$ 16 bilhões para financiar a pequena produção.

A informação foi dada hoje (1º) pelo presidente da Contag, Alberto Broch, depois de se reunir no Palácio do Planalto com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, para apresentar as reivindicações da agricultura familiar para a próxima safra. Os R$ 16 bilhões que a entidade espera que sejam destinados ao Pronaf vão ser usados para crédito custeio, comercialização e investimento. A Contag também defende o aumento do limite de financiamento por produtor.

Um ponto prioritário da pauta de mais de 200 itens, segundo Broch, é a “necessidade de adequação do Código Florestal Brasileiro”. Ele disse que o setor apresentou 18 emendas ao projeto de lei do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), distinguindo, principalmente, as especificidades da agricultura familiar.

“Pedimos urgência nessa adequação do código e que acatem nossas sugestões. Hoje, mais de 80% dos produtores familiares não estão regularizados”, afirmou o presidente da Contag. Ele disse que o setor espera que haja consenso em relação ao texto do novo Código Florestal até o Grito da Terra 2011, que ocorrerá nos dias 17 e 18 de maio, quando milhares de agricultores familiares estarão em Brasília para cobrar do governo respostas às reivindicações.

Broch disse que um tema central da pauta de reivindicações é o fortalecimento da assistência técnica no meio rural. “Não se evolui nos outros pontos que estamos colocando se não tiver assistência técnica e extensão rural.” Outros pontos colocados foram mais apoio à comercialização, ao cooperativismo e à habitação no campo, assim como implementação de agroindústrias.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Agrário, a presidenta pediu a ele e ao secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, para intermediarem as reivindicações do setor com os 15 ministérios envolvidos na pauta. Segundo Afonso Florence, a presidente Dilma pretende apoiar a industrialização da produção da agricultura familiar.

O presidente da Contag gostou de ouvir a presidenta enaltecer a importância da agricultura familiar. “Dilma disse que não se combate a pobreza sem fortalecer a agricultura familiar.” Além disso, Broch afirmou que ela falou sobre a criação de creches na área rural, onde cresce a participação da mão de obra das mulheres, e sobre uma educação diferenciada para o campo, com boa qualidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
Após agredir esposa, policial mata sogro com tiro no peito em fazenda
MARACAJU - VAMOS AJUDAR
Em Maracaju, Mulher pede ajuda para realizar almoço beneficente para criança com paralisia cerebral
BONITO - MS - SAÚDE DE QUALIDADE
Ministério da Saúde entrega novos equipamentos para Bonito (MS)
TRÁFICO DE DROGAS
Trio é preso em ação para transportar mais de 1t de maconha
Educação
Alunos da Rede Estadual voltam às salas de aula nesta semana
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Está precisando de emprego? Loja Toda Chic está com vagas para vendedoras, em Bonito
Assassinato
Homem é morto com golpes de machado durante discussão por causa de short
Contrabando
Polícia apreende 50 mil maços de cigarros contrabandeados do Paraguai
Receptação
Homem é preso tentando levar carro roubado na Bahia à fronteira
CALOR
Semana começa quente e temperatura pode chegar aos 36°C, em Bonito (MS)