Menu
quinta, 28 de janeiro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO

Chineses investem na soja brasileira

4 Abr 2011 - 15h34Por Jornal Folha de São Paulo

Maior importador mundial de soja, a China promove uma ofensiva no Brasil para aumentar a presença na cadeia produtiva do grão por meio de acordos de exportação com agricultores locais, compras de terra e investimentos em indústrias.

Levantamento da Folha mostra que empresários chineses estão em contato com cooperativas e governos de ao menos seis Estados: Bahia, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Tocantins e Mato Grosso. Desses, três têm projetos em andamento.

O caso mais recente é o da estatal Chongqing Grain, na Bahia. Anunciado na China como um dos principais projetos de soja do país no exterior, prevê investimentos de R$ 4 bilhões para uma fábrica de beneficiamento, além de um porto seco e de silos para armazenar soja, que será comprada de produtores locais.

Outro grande acordo é o de Goiás. A estatal Sanhe Hopefull planeja investir R$ 12,2 bilhões nos próximos dez anos em agricultura e infraestrutura do Estado para garantir a compra direta de 6 milhões de toneladas de soja por ano, o equivalente a toda a produção local atual.

Negócios não envolvem compra de terras

Os dois casos não envolvem compra de fazendas. Com o endurecimento das regras para venda de terras a estrangeiros, no ano passado, os acordos de exportação surgem como uma alternativa para os chineses.

Antes da nova legislação, os chineses compraram áreas de plantio. Em 2007, a empresa Zhejiang Fu Di formou uma subsidiária brasileira, a Sol Agrícola, e adquiriu 16 mil hectares no Tocantins e outros mil hectares no Rio Grande do Sul.

Em Santa Catarina, outro grupo chinês planeja investir R$ 200 milhões no porto de São Francisco do Sul, para facilitar a exportação de soja. A parceria com produtores locais também é negociada.

Procurado, o Ministério da Agricultura, por meio do secretário de Relações Internacionais do Agronegócio, Célio Porto, informou que considera os acordos "importantes e louváveis".

Assim como nos investimentos bilionários em petróleo e minério de ferro feitos no Brasil em 2010, o objetivo da China é diminuir a vulnerabilidade a flutuações internacionais do preço da soja.

Trata-se dos três produtos mais exportados para a China, juntos, representam 92,9% do total vendido ao gigante asiático em 2010. Soja e óleo de soja somam 25,7%.

Por escrito, o Ministério do Comércio chinês disse que o objetivo dos investimentos na cadeia da soja é romper a intermediação de empresas americanas. "Se isso ocorrer, é favorável para o Brasil e para a China", diz a nota.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ADIADA
Chuvas adia visita do governador em exercício em Bonito (MS)
BONITO - MS - VACINAÇÃO
Vacinação para idosos acima de 75 anos começa nesta quinta-feira (28), em Bonito
ACIDENTE FATAL
Carro é partido ao meio e uma pessoa morre em acidente em MS
BONITO - MS - A FILA VAI ANDA
Com 400 pacientes aguardando, corpo clínico do Darci Bigaton retoma cirurgias eletivas em Bonito
Serão beneficiadas 3,3 milhões de pessoas - Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil AUXÍLIO EMERGENCIAL
AINDA NÃO SACOU: Auxílio emergencial tem última parcela para saque hoje
MACABRO
Macabro: Bombeiros descobrem ossada de homem dentro de fossa em Maracaju
MS NA PANDEMIA
Pandemia não impede que MS tenha número recorde de novas empresas abertas em 2020
CORONAVÍRUS EM MS
Mato Grosso do Sul registra 582 novos casos de Covid e 9 óbitos nas últimas 24h
ACIDENTE NAS ESTRADAS
Incêndio derrete ônibus de viagem que trazia 40 pessoas para Campo Grande
TURISMO EM MS
Estudo para concessão de parques estaduais deve ser concluído no 1° semestre