Menu
KAGIVA
quinta, 20 de setembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
CRUELDADE

Mãe e padrasto matam menino de 2 anos porque 'ele chorava demais'

9 Mar 2018 - 14h15Por Correio do Estado

Na mesma semana em que o Brasil ficou sabendo do assassinato de Emanuelly Aghata, a menina de 5 anos morta pelos próprios pais, um crime com crueldade equivalente foi registrado na última terça-feira (6). 

O crime aconteceu na cidade de Santo Antônio do Descoberto (GO). Segundo o delegado encarregado, Pablo Santos Batista, o motivo do assassinato seria a recusa e o choro da criança por ser obrigada a dormir na sala. 

Pablo detalha que os conflitos começaram com o choro de Henzo, que não queria dormir na sala. Mãe e padrasto, então, o levaram para o quarto, onde o agrediram. 

“Eles o teriam enrolado no cobertor, chutado e pisado na criança. Às 5h, o avô da criança foi beber água e decidiu olhar o menino. Viu que ele não se mexia nem respirava e chamou o casal. Quando a mãe chegou ao hospital, a criança estava morta. O padrasto confessou e entregou a mãe. O avô disse que, às vezes, eles eram agressivos na hora de corrigir a criança”, relatou o delegado.

O casal morava com o filho na casa do pai de Wesley.

Versões conflitantes

Os acusados responderão por homicídio qualificado (motivo torpe), e podem pegar até 30 anos de prisão — até então, não tinham passagem pela polícia. Em entrevistas para a mídia, o casal apresentou versões conflitantes.

Wesley disse que Luana teria matado o menino. “Eu perguntei se era por causa da nossa relação que ela batia demais na criança. Toda vez que ela ia dormir, enrolava a criança todinha e, tipo assim, o menino sufocado (sic). O policial falou que ele (Henzo) tinha fratura, roxo na cara. Isso foi ela que deve ter batido nele. Eu bati nele de cipó. Foi só uma vez. Para ele ir para o quarto. Ele era obediente. Quando eu batia, ele obedecia. Ela não bateu nele. Ela o matou”, acusa.

Em entrevista, Luana culpou Wesley: “Eu não matei o meu filho. Foi o meu esposo que o agrediu. Ele que maltratou o meu filho. Tem pouco tempo que estamos juntos. Um mês. Acordei hoje de manhã, quando fui olhar o meu filho, ele estava lá morto. Peguei o meu filho e fui para o hospital. Eu estou presa, mas é por culpa dele. Ele destruiu a minha vida. Eu nunca passei por isso”.

Familiares do pai

Jéssica Maria Nascimento de Almeida, 24 anos, irmã do pai de Henzo, desabafou após saber da morte do sobrinho: “Se ela não queria a criança, por que não deixou que a minha mãe [a avó paterna] cuidasse?”.

Com a voz embargada, Jéssica contou que a avó e outra tia de Henzo foram hospitalizadas após a morte do menino. Inconsolável, o pai de Henzo não quis dar entrevistas.

“O meu irmão está sem reação. Não conseguimos entender o que aconteceu. Henzo não tinha culpa de nada”, lamentou Jéssica.

Enterro e Justiça

Familiares velaram o corpo de Henzo Gabriel na quarta-feira (7). “Para mim, ele era meu filho. Nunca o tive como neto. Eu quero justiça. Eles arrancaram o meu filho de mim. Mataram-no como se fosse um qualquer, mas era um bebê de 2 anos, inocente, uma criança doce”, desabafou a avó paterna de Henzo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - DESUMANIDADE
Após acidente, pessoas ignoram vítima fatal e roubam carga de abacaxi em Dourados
CIDADES
Polícia prende quadrilha que roubava caminhões e levava para o Paraguai
AÇÕES CONTRA O TRÁFICO DE DROGAS
Jardim (MS) na lista do Gaeco em operação contra o tráfico de drogas, ao todo foram 25 em 4 cidades
CRUELDADE - POLÍCIA
Por mãe estar sem o celular, ladrão dá facada em bebê de 3 meses
ELEIÇÕES 2018 - CANDIDATO AO GOVERNO DO MS
MPF manda Polícia Federal investigar Odilon de Oliveira, denunciado por crimes na 3ª Vara Federal
TRÁFICO
Rapaz é preso em MS ao tentar levar para SP 110 quilos de maconha escondidos em fundo falso de carro
ESTRAGO FEITO POR CACHORRO
Policial atacado por pitbull consegue tratamento de reconstrução de face
BACTÉRIA
Mulher tem os dedos de pé amputados após sessão de pedicure com peixes
EM ENTREVISTA NA TV MORENA
Denúncia da JBS é retaliação por cobrança de impostos, diz Reinaldo
MARIA DA PENHA PRA ELE
Mulher tem 40% do corpo queimado pelo marido enquanto amamentava em Campo Grande