Menu
KAGIVA
sbado, 20 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Esquema de fraudes em Ladário incluia combinação de preços e empresas fantasmas

16 Mai 2011 - 13h32Por Campo Grande News

O esquema de fraudes na prefeitura de Ladário incluía combinação de preços e inserção de empresas fantasmas em licitações.

Nesta segunda-feira, a PF (Polícia Federal) deflagrou a “Operação Questor” e prendeu secretários municipais, servidores públicos e empresário. O prejuízo aos cofres públicos supera meio milhão de reais.

“Eles usavam combinação de preços e inserção de empresas fantasmas para beneficiar a empresa que já estava fechada com eles. Essa empresa vencia e repassava parte do dinheiro para o grupo. Temos funcionários públicos do alto escalão da Prefeitura de Ladário, inclusive secretários municipais envolvidos”, afirmou o delegado chefe da Polícia Federal de Corumbá, Alexandre do Nascimento, em entrevista ao Diário Online.

A PF apreendeu R$ 60 mil, em dinheiro, notas fiscais, documentos e dispositivos de armazenamento de dados de computadores. A prefeitura foi fechada para cumprimento dos mandados de busca e apreensão. Ladário é administrada pelo prefeito José Antônio Assad e Faria (PT). Ele não foi citado nesta operação, mas deve ser investigado.

Foram presos: Name Antonio Faria de Carvalho (Secretário Municipal de Finanças); Eliene Urquiza (Secretária Municipal de Educação); Candelária Lemos (Advogada Geral do Município); Márcio José Pimenta (Setor de Licitações); Samuel Molina (Contador); e Maria Helena Silva (Núcleo de Projetos da Prefeitura). A prisão é válida por cinco dias. Em Campo Grande, a PF prendeu um empresário.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), as investigações iniciaram a partir de suspeitas de irregularidades na aplicação de recursos federais destinados à merenda dos estudantes da rede municipal de Ladário.

Em seguida, foi instaurado inquérito policial para investigação dos crimes de corrupção, fraudes em licitações, falsificação de documentos públicos e formação de quadrilha.

Generalizado - A Controladoria Geral da União também realizou fiscalização nas licitações e contratos da prefeitura de Ladário, entre 2008 e 2010, que envolviam recursos federais. Foram identificando irregularidades em todos os procedimentos analisados.

Sobrepreço, superfaturamento, direcionamentos e fraudes em licitações, conluio entre empresas e montagem de procedimentos licitatórios foram algumas das irregularidades encontradas. A situação foi verificada em todas as áreas investigadas: educação, saúde, saneamento básico, infraestrutura e habitação.

A operação também cumpriu 26 mandados de busca e apreensão em Ladário, Corumbá, Dourados, Campo Grande, Barão de Cotegipe (RS) e Maringá (PR). A investigação durou mais de um ano e foi realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União.

A operação possui este nome em alusão ao administrador financeiro da antiga Roma, “Questor”, responsável pela coleta de impostos, supervisão do tesouro e da contabilidade do “Estado Romano”, função equivalente ao atual secretário de Finanças.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%