Menu
KAGIVA
quarta, 15 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Criação de vaga formal recua 65% em março e demissões batem recorde

19 Abr 2011 - 16h05Por Folha.com

O mês de março registrou queda na criação de empregos formais, quando 92.675 novos postos de trabalho foram criados, e as demissões bateram recorde, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, divulgados nesta terça-feira.

A criação de vagas formais recuou 65% em março deste ano em relação ao terceiro mês de 2010, quando houve 266 mil vagas criadas.

Em relação a fevereiro, houve queda de 67% na criação de empregos formais, quando foram geradas 280.799 novas vagas.

Esse número também é menor do que o registrado em março do ano passado, quando as admissões chegaram a 322.510.

No três primeiros meses do governo da presidente Dilma Rousseff, os empregos gerados chegaram a 583.886. No acumulado de 12 meses, a criação de novos postos de trabalho somaram 2.350.841.

O número de admissões e demissões em março foram recorde. As admissões somaram 1.765.922, terceiro maior número da série histórica, e as demissões chegaram a 1.673.247, o maior da série histórica.

O principal responsável pelo resultado foi o setor de serviços com a geração de 60.309 novos postos de trabalho, seguido pela indústria de transformação com a criação de 14.448 novos empregos e a agricultura, com a abertura de 11.400 novas vagas.

Segundo o ministro Carlos Lupi (Trabalho), esse resultado de março se deve ao Carnaval, ao fim do ciclo sucroalcooleiro no nordeste e as fortes chuvas em todo país registradas no período.

"Na comparação, a gente vê que não foi um desempenho tão bom quanto março do ano passado. Essa quantidade de desligamentos tem a ver com a antecipação da contratação em fevereiro e o fim do ciclo sucroalcooleiro no nordeste", disse.

Apesar dos números registrados em março, o ministro acredita que abril terá um desempenho melhor. O ministro também disse que o Brasil chegará a meta de três milhões de novos empregos esse ano.

"Abril será muito forte, porque não temos os dias de Carnaval e vai acabar o ciclo da chuva algumas regiões do Brasil", afirmou Lupi

Deixe seu Comentário

Leia Também

STOCK CAR 2018
Bons retrospecto em MS anima pilotos da Cavaleiro Sports
AQUIDAUANDA
Caminhão sai da pista e motorista fica preso nas ferragens na BR-262
CASO DE POLÍCIA
Boliviana denuncia estupro de criança de 8 anos em fazenda no Pantanal
CIDADES
Na contramão do nacional, MS registra queda na mortalidade materna
POLÍTICA
Para eleitores, 2º turno a presidente será entre Bolsonaro e Alckmin
POLÍTICA
Aprovado projeto que proíbe pedófilos de concorrer em concurso estaduais
SAÚDE
CFM lança código de ética para estudantes de medicina
ECONOMIA
Empresários brasileiros buscam ampliar parcerias com o Paraguai
EDUCAÇÃO
Resolução libera curso Técnico de Hospedagem em polo de escola no interior do Estado
CULTURA
Publicado edital de seleção para artesãos participarem do Salão do Artesanato em São Paulo