AGÊNCIA_SUCURI_MEGA_BI
Bonito Informa - Notícias de Bonito e região
Bonito, 15 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
KAGIVA
7 de Maio de 2011 17h20

Argentina pede prisão perpétua de ex-oficial por tortura durante a ditadura militar

Estadão.com

O governo argentino pediu nesta sexta-feira a prisão perpétua do ex-oficial da Marinha, Alfredo Astiz, por seu papel na morte de duas freiras francesas, Alice Domon e Léonie Duquet, desaparecidas durante a ditadura (1976-1983).

Conhecido como "Anjo Louro da Morte" e acusado de ter cometido sequestros, torturas e assassinato de civis, entre eles os das duas freiras, já havia sido condenado, em 2010, à mesma pena pela Justiça francesa.

"Peço a condenação de Alfredo Astiz à prisão perpétua", declarou o advogado da secretaria dos Direitos Humanos, Martin Rico, que o considera responsável por crimes de tortura e homicídios agravados cometidos na Escola de Mecânica da Armada (Esma).

As religiosas francesas foram sequestradas nos dias 8 e 10 de dezembro de 1977, ao lado de dez militantes de defesa dos direitos humanos, entre eles a fundadora do movimento Mães da Praça de Maio, Azucena Villaflor.

Com a condenação, o ex-oficial, de 59 anos, poderá permanecer na prisão além do limite de 25 anos previsto pela lei, sem possibilidade de recurso.

A ditadura argentina é considerada uma das mais sangrentas da América do Sul. De acordo com organizações de direitos humanos, cerca de 30 mil pessoas morreram ou desapareceram durante o regime militar.

Comentários
Veja Também
dothshop
Últimas Notícias
  
bonito_celular
ANUNCIE AQUI
dothCom © Copyright BonitoInforma - Todos os Direitos Reservados.