Menu
ITALÍNEA DOURADOS
segunda, 15 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Agricultor prejudicado por enchente poderá receber seguro-desemprego

30 Mai 2011 - 17h46Por Agência Câmara de Notícias

A Câmara dos Deputados, em Brasília, analisa o Projeto de Lei 380/11, da deputada Rebecca Garcia (PP-AM), que concede seguro-desemprego ao agricultor familiar rural ou extrativista que tenha suas terras inundadas por enchentes sazonais, em período fixado pela Agência Nacional de Águas (ANA). O valor do benefício será de um salário mínimo mensal.

A proposta busca amenizar a situação dos agricultores afetados pelas inundações. "Além de arcar com os enormes prejuízos provocados pela cheia em si - que, às vezes, chega a levar sua casa, plantações, criações e outros objetos de valor material ou sentimental -, o produtor rural vê seu sistema econômico inviabilizado durante meses seguidos pela permanência das águas", ressalta a autora.

Segundo a parlamentar, o texto foi inspirado no PL 4473/08, do ex-deputado Ronaldo Leite, que foi aprovado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, na qual Rebecca Garcia atuou como relatora do projeto; e de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, mas foi arquivado ao final da legislatura passada.

Requisitos

Pela proposta, o benefício será pago com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), instituído pela Lei 7.998/90. Para se habilitar ao seguro-desemprego, o agricultor deverá apresentar ao órgão competente do Ministério do Trabalho e Emprego os seguintes documentos:
- registro atualizado de produtor rural e/ou extrativista;
- comprovante de inscrição no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como produtor rural, parceiro, meeiro ou arrendatário rural;
- comprovante de que não está em gozo de nenhum benefício de prestação continuada da Previdência ou da Assistência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte;
- atestado de sindicato ou cooperativa rural com jurisdição sobre a área que sofra a inundação.

Para ser beneficiado, o agricultor tem de ter se dedicado às atividades rurais, em caráter ininterrupto, durante o período compreendido entre duas inundações, e não pode ter outra fonte de renda.

Cancelamento
Conforme o texto, o seguro-desemprego será cancelado:
- no início de atividade remunerada ou do recebimento de outra renda pelo agricultor;
- em caso de morte do beneficiário, exceto se ele tiver dependente econômico exclusivo, a quem será repassado o benefício;
- na hipótese de desrespeito às normas de preservação ambiental; ou
- se for comprovada falsidade nas informações prestadas para a obtenção do benefício.

A eventual constatação de fraude na obtenção do seguro implicará, além de seu cancelamento imediato, a devolução pelo produtor rural da quantia recebida indevidamente; e a aplicação de sanções previstas na Lei 8.112/90 ao servidor público responsável pelo atestado falso, sem prejuízo de outras medidas civis e penais cabíveis.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO EM LAS VEGAS
Bonito (MS) participa do IMEX America 2018, em Las Vegas
DELAÇÃO PODE VIR A TONA
Beth Puccinelli ameaça deleção caso André não seja solto
AÇÃO DA PMA
PMA apreende rede e anzóis de galho nos rios Miranda e da Prata
RIO MIRANDA EM BONITO - MS
Em BONITO, Rio Miranda atinge nível de emergência e Imasul emite alerta a ribeirinhos
PRIMEIRO PESQUISA DO 2º TURNO
Pesquisa do 2º turno para governador do MS indica Reinaldo com 54%, veja números
BONITO - MS - E MAIS 56 CIDADES
BONITO e mais 56 cidades do MS em sinal de alerta para mais tempestades
EM CIDADE DO MS
Rapaz morre afogado enquanto nadava em lago de represa em cidade do MS
ELEIÇÕES 2018 - AÇÃO NA FRONTEIRA
Bolsonaro planeja implantar trabalho do DOF nas demais fronteiras do Brasil
BRASILEIRA EXECUTADA
Brasileira dona de escritório contábil é executada com 9 tiros de pistola na fronteira com MS
A FAZENDA 10 - ELIMINAÇÃO
Ana Paula Renault é eliminada de A Fazenda 10, VEJA COMO FOI