Menu
sexta, 16 de abril de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO
ALERTA NO MS

ALERTA: Confirmado primeiro caso da variante de Manaus no MS

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que o primeiro caso de infecção da nova variante

3 Mar 2021 - 12h08Por Rodson Lima, SES

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que o primeiro caso de infecção da nova variante do coronavírus foi confirmada na terça-feira (2) em Mato Grosso do Sul. Denominada de P1, a nova variante do vírus causador da Covid-19 foi registrada em um paciente do sexo masculino, de 37 anos, morador de Corumbá.

O homem apresentou sintomas da doença no dia 2 de janeiro deste ano e a confirmação laboratorial, via Lacen/MS pela metodologia RT PCR em tempo real, saiu no dia 8 do mesmo mês. O paciente teria contraído a Covid-19 durante viagem a Manaus (AM). Assim, constatou-se como um caso importado da P1.

O paciente ficou internado Santa Casa de Corumbá em UTI e hoje se encontra em recuperação em domicílio. Como fatores de risco, apresenta: imunossupressão e obesidade. Após investigação epidemiológica, considerando histórico de viagem a Manaus e data de início de sintomas, constatou-se como caso IMPORTADO de contágio.

Este caso, faz parte dos três casos suspeitos que estavam em investigação, sendo um já confirmado e dois que ainda permanecem a espera de resultado pela Fiocruz, sem data para envio.

A SES  informa que tem se mantido vigilante quanto ao surgimento da nova variante. O Lacen/MS havia encaminhado 148 amostras de controle para sequenciamento genético no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Destas, foram recebidas 28 amostras cujo os resultados foram negativos para a nova variante, as demais foram descartadas. A partir deste mês, mais 43 amostras de controle serão encaminhadas para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Minas Gerais.

Critério para envio de amostras

A rotina de envio de amostras para sequenciamento genômico de Sars-CoV-2 deve atender as demandas recebidas através da Gerência Técnica de Influenza e Doenças Respiratórias do Estado do Mato Grosso do Sul e do Ministério da Saúde.

Para o envio devem ser respeitados os critérios pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde conforme o que for o objeto de avaliação: se controle de qualidade laboratorial, se investigação de suspeita de reinfecção, se investigação de novas variantes circulantes no Brasil, etc.

Todas as amostras objetos dessas avaliações devem ser enviadas somente aos Laboratórios de Referência Nacionais pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde. No caso do Mato Grosso do Sul, este laboratório de referência é o IAL – Instituto Adolfo Lutz em São Paulo. A SES ressalta que os casos suspeitos foram encaminhados para a Fiocruz.

De uma forma geral as amostras devem ter sido testadas para Sars-CoV-2 e ter o valor de CT (cycle threshold) < 27. Para avaliação de controle de qualidade laboratorial selecionam-se amostras com resultados positivos, inconclusivos e negativos para Sars-CoV-2 de diferentes semanas epidemiológicas, diferentes faixas etárias, de pacientes que evoluíram a óbito, de diferentes regiões de abrangência, de área fronteiriça para outros estados e outros países, amostras de SG e SRAG.

Para investigação de suspeita de reinfecção devem atender os critérios de definição de caso. E em investigação aleatória de novas variantes circulantes selecionam-se amostras de pacientes que evoluíram a óbito ou que tiveram sintomas graves ou leves da doença, amostras de áreas fronteiriças com outros países, amostras com histórico de viagem para áreas de transmissão da nova variante ou ainda amostras com suspeitas de reinfecção. No caso de investigação não aleatória de novas variantes circulantes selecionam-se amostras de pacientes com histórico de viagem para áreas de transmissão da nova variante.

Sobre a P1

A linhagem P1 é uma variante de atenção (VOC, do inglês Variant of Concern), com circulação comunitária já reportada no estado do Amazonas e oeste do estado do Pará. Por sua vez, a linhagem P.2 apresenta a mutação E484K no domínio de ligação com o receptor na Spike e já circula em todas as regiões geográficas do pais. Ambas linhagens P.1 e P.2 são descendentes da linhagem B.1.1.28 em circulação no pais desde março de 2020.

Recomendamos a investigação clínico e epidemiológica dos casos e a investigação laboratorial de potenciais contactantes de pacientes que foram positivos para alguma VOC. As VOCs reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde são: B.1.1.7 (501Y.V1) - Surgiu no Reino Unido em dezembro. B.1.351 (501Y.V2) - Surgiu na África do Sul em dezembro. P.1 (501Y.V3) - Surgiu no Brasil no final de 2020.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CHEGOU MAIS VACINA AO MS
CHEGOU: 13º lote com 77,9 mil doses da vacina contra Covid e já começa a distribuição aos municípios
luto ÓBITOS POR COVID EM MS
Bebê de menos de 1 ano e um adolescente de 15 anos estão entre as 50 mortes nas últimas 24h em MS
Foto: Toninho Souza/Assessoria deputado Renato Câmara AÇÕES DEPUTADO RENATO CÂMARA
Renato Câmara apresenta indicação para reinserção de pessoas com sequelas da Covid-19
BONITO - MS - PROTEÇÃO CONTRA COVID
SAS faz distribuição de máscaras de proteção e álcool em gel para famílias do SCFV em Bonito
BONITO E MAIS 44 CIDADES
BONITO e mais 46 cidades continuam na bandeira VERMELHA, veja o mapa e o TOQUE DE RECOLHER
MAIS VACINAS CHEGANDO
Mato Grosso do Sul recebe 13º lote com 77,9 mil doses da vacina contra Covid-19
LUTO BONITO BONITO - MS - LUTO
Em dia de 65 mortes em MS, mais 01 óbito é registrado nas últimas 24h, veja o boletim em Bonito (MS)
BOLSA FAMÍLIA 2021
BOLSA FAMÍLIA terá 3 novos valores até julho; veja quanto
VACINA PARA O MS
Decisão do STF abre possibilidade de Mato Grosso do Sul comprar vacina Sputinik e acelerar vacinação
Mini usina de oxigênio alugada pela prefeitura de Rio Negro (Foto: Divulgação/Prefeitura de Rio Negro) FALTA DE OXIGÊNIO
GUIA LOPES e mais 07 municípios de MS relatam dificuldade no abastecimento de oxigênio