Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JUNHO
MS TEM 5 CIDADES NA LISTA

Bolsonaro propõe extinção de cidades com menos de 5 mil habitantes; MS tem 5

Bolsonaro propõe extinção de cidades com menos de 5 mil habitantes; MS tem 5

5 Nov 2019 - 18h46Por Dourados Agora com Agência Brasil

Municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria inferior a 10% da receita total serão incorporados pelo município vizinho. O ponto consta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, enviada hoje (5) pelo governo ao Senado.

Em mato Grosso do Sul, cinco cidades tem população inferior a 5 mil habitantes, contuto, não se sabe se a receita é inferior a 10%. São eles: Figueirão (3.051 habitantes), Jateí (4.027), Novo Horizonte do Sul (3.814), Rio Negro (4.831) e Taquarussu (3.588). As estatísticas são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica), estimativa de população para 2019.

Segundo o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, a medida poderá afetar até 1.254 municípios. A incorporação valerá a partir de 2025, e caberá a uma lei ordinária definir qual município vizinho absorverá a prefeitura deficitária. Uma lei complementar disciplinará a criação e o desmembramento de municípios.

A PEC também estende as regras da execução do Orçamento federal aos estados e municípios. A regra de ouro (teto de endividamento público) e o teto de gastos seriam estendidos aos governos locais.

As prefeituras e os governos estaduais também poderão contingenciar (bloquear) parte dos Orçamentos dos Poderes Legislativo, Judiciário e do Ministério Público locais. Atualmente, somente a União pode contingenciar verbas de todos os Poderes. Os governos locais só conseguem bloquear recursos do Poder Executivo.

Segundo o Ministério da Economia, a PEC do Pacto Federativo acabará com a disputa judicial em torno da Lei Kandir, ao estender a transferência de royalties e participação especial do petróleo para todos os estados e municípios. Hoje, os estados negociam com a União todos os anos os repasses da Lei Kandir, que prevê que o governo federal deve compensar a desoneração de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para mercadorias primárias e semielaboradas.

A PEC também proíbe que estados e municípios se apropriem de recursos de fundos de pensão e depósitos judiciais de ações entre particulares para pagarem despesas.

 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREFEITO DE BONITO - JOSMAIL RODRIGUES BONITO - PROJETO GAROTO CIDADÃO
Projeto 'Garoto Cidadão' tem o objetivo de promover a inclusão social, prefeito comemora em Bonito
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Pavimentação de rodovia interligando os pantanais coloca Rio Verde no cenário nacional do turismo
RETOMADA DO TURISMO EM MS
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
REDUÇÃO DO ICMS DA ENERGIA
Empresários comemoram redução de ICMS na conta de luz durante a bandeira de escassez hídrica
Foto: Wagner Guimarães / Arquivo ALEMS DEPUTADO RENATO CÂMARA
ALEMS convida para Semana Estadual do Idoso com programação online
ENERGIA ENERGIA MAIS BARATA NO MS
Governo de MS sanciona lei que reduz ICMS da energia elétrica para 1 milhão de unidades consumidoras
BONITO - MS - VISITA DO PRESIDENTE
Bolsonaro cancela vinda ao MS, presidente iria passar dia 1º de outubro em Bonito
BONIITO - PARCERIA
BONITO: Lâmpadas de LED e câmeras de segurança são destaques da parceria com Energisa e FIEMS
TRISTE REALIDADE
Rio Miranda sofre com assoreamento e corre risco de 'secar'
ICMS DA CONTA DE LUZ
Aprovado na Assembleia, projeto que reduz imposto da conta de luz