Menu
BANNER ANNA
quinta, 20 de fevereiro de 2020
Busca
ASSASSINATO DE JORNALISTA

Jornalista jantava com a família quando foi assassinado, cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros

Jornalista jantava com a família quando foi assassinado, cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros

13 Fev 2020 - 09h23Por G1 MS

O jornalista brasileiro Léo Veras jantava com a família quando foi assassinado por pistoleiros. O crime ocorreu na noite de quarta-feira (12) na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero.

Conforme o portal G1, por volta das 21h, dois pistoleiros encapuzados chegaram em uma caminhonete branca, entraram pelo portão que estava aberto e invadiram o local.

Eles efetuaram vários disparos contra o profissional, que tentou correr, mas caiu ao ser atingido pelos tiros.

Léo foi atingido por cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros. Um dos disparos acertou a cabeça dele no momento em que ele tentou correr dos assassinos. 

O jornalista chegou a ser socorrido e encaminhado para um hospital particular da cidade paraguaia, mas não resistiu.

Ele era o dono do portal de notícias Porã News. (Com informações do G1/MS)

Deixe seu Comentário

Leia Também

MUITA CHUVA
Forte chuva alaga ruas e deixa família em situação critica no bairro (VÍDEOS)
TRÁFICO DE DROGAS
Maconha "rastreada por GPS” é apreendida entre Ponta Porã e Dourados
Fátima do Sul
Mulher é encontrada morta a marteladas e namorado é principal suspeito
BONITO - MS - POLÍCIA
Veículos furtados com agrotóxicos e cigarros contrabandeados são apreendidos em Bonito (MS)
MIRANDA E CARACOL NA MIRA
Miranda e Caracol serão alvos de fiscalização do CGU sobre aplicação de recursos federais
CASO DE POLÍCIA
Após brigar com esposa, homem ateia fogo na casa e tem 75% do corpo queimado
Policial
Criança de 3 anos é encontrada sozinha, chorando, trancada em casa escura
Assassinato em Dourados
Morto por policial em padaria cumpria pena por homicídio
DOURADOS - POLÍCIA
Policial aposentado mata homem que tentou assaltar filho com faca em Dourados
OPERAÇÃO LUZ NA INFÂNCIA
Homem preso em Bonito durante operação contra pedofilia é professor e tem 60 anos