Menu
tera, 26 de maio de 2020
BANNER ANNA
Busca
POLONIO IMÓVEIS

Senado aprova regras mais rígidas na transmissão de herança

17 Mar 2011 - 08h09Por Folha.com

O Senado aprovou nesta quarta-feira projeto que endurece as regras para a transmissão de herança no país. Além de excluir em definitivo do benefício herdeiros envolvidos na morte do titular, o texto deserda aqueles que cometerem crimes contra sua a "dignidade sexual" --pedofilia ou abuso sexual-- assim como proíbe o pagamento a quem abandonar ou desamparar o dono da herança. 

Pelo projeto, podem ser deserdados filhos, pais, cônjuges ou parentes em geral. No caso dos pais, a lei se aplica àqueles que requisitam a herança com a morte ou enriquecimento dos filhos na vida adulta. O texto também deserda aqueles que alterarem ou furtarem o testamento do responsável pela herança. 

O projeto foi aprovado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado em caráter terminativo (sem a necessidade de passar pelo plenário da Casa). Por isso, segue diretamente para votação na Câmara. 

Pela legislação em vigor, só perde o direito à herança aqueles que cometerem ou tentarem praticar homicídio contra o titular --assim como aqueles que praticarem ofensa reconhecida pela Justiça contra o pai ou mãe ou nos casos de abandono de deficientes físicos ou mentais. 

"São novas hipóteses para que, esse que pratica o delito, não tenha como receber qualquer benefício. É uma maneira de fazer com que aqueles que rompem o seu laço familiar de uma forma indecente, indigna e criminosa, não tenham como usufruir do patrimônio que de alguma forma possa chegar até ele", disse o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), relator do projeto na CCJ. 

Com a mudança, uma jovem que for abusada sexualmente pelo seu pai terá autonomia para deserdá-lo se assim desejar. "Em caso de morte da jovem, se ela não tiver feito a deserdação, o Ministério Público pode demandar a indignidade dele para ficar excluído da herança", disse o senador. 

Demóstenes disse que alguns juízes já tomam medidas semelhantes sem amparo legal, por isso a mudança na legislação vai universalizar regras mais duras para a transmissão da herança. 

O projeto prevê que, em casos em que os herdeiros forem declarados impedidos de receber o benefício, outros parentes diretos podem ser incluídos --ou a Justiça pode declarar vacância, repassando os bens ao Estado. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS NO MS
Prefeitura notifica JBS/Seara e solicita novamente a suspensão temporária das atividades em MS
CORONAVÍRUS NO MS
Com 183 casos em Guia Lopes, SES elabora estratégia de combate ao coronavírus para região Sudoeste
BONITO - MS -
Prefeitura instala 20 novos pontos de iluminação pública no Distrito Águas do Miranda em Bonito (MS)
BONITO - MS - CANCELADA
Por conta da pandemia, organização cancela edição da Cavalgada de Bonito (MS)
CORONAVÍRUS NO MS
BOLETIM: MS tem novo recorde de infecções, 99 novos confirmados, Confira o boletim
BONITO - MS - NO GABINETE
ABH entrega protocolo de Biossegurança e destaca intenção de abrir somente em julho em Bonito (MS)
DROGAS
Abacaxi atômico: polícia encontra maconha misturada a frutas
Destruição
Vendaval deixa rastro de destruição em comunidade indígena da fronteira
Homicídio
Mulher é presa por matar o sobrinho com tiro na cabeça após ele ameaçar a avó em MS
ESFAQUEADO
Após ser esfaqueado, homem se esconde no banheiro para fugir de esposa