Menu
quinta, 26 de novembro de 2020
Busca
Bonito

Projeto de Giroto impede corte de recursos para combater aftosa

19 Mar 2011 - 08h11Por Campo Grande News

Projeto de lei protocolado hoje na Câmara Federal pelo deputado Edson Giroto (PR/MS) proíbe que o poder executivo corte recursos destinados a ações de vigilância e defesa sanitária animal e vegetal. O objetivo é evitar que programas de combate à febre aftosa para Mato Grosso do Sul sejam prejudicados por por cortes no Orçamento da União.

Giroto argumentou que, embora o poder executivo tenha delegado aos estados a execução da defesa sanitária agropecuária, os repasses são feitos via convênio e “podem ser contingenciados colocando em risco todo o trabalho desenvolvido por anos a fio”.

O deputado lembrou, ainda, que a agricultura e a pecuária já sofreram diversos prejuízos em virtude de doenças e do ataque de insetos e organismos nocivos.“São incalculáveis os danos financeiros causados aos pecuaristas brasileiros, no ano de 2005, com os embargos promovidos por diversos países importadores aos produtos brasileiros em decorrência do surgimento dos surtos de aftosa”.

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com o parlamentar, cerca de 1,5 mil km de fronteira com a Bolívia e o Paraguai requerem atenção máxima. Ele citou que “os surtos de febre aftosa ocorridos na região sul do estado resultaram em barreiras sanitárias e comerciais, prejudicando a atividade econômica”. Por ano, afirmou Giroto, o governo do Estado investe mais de R$ 60 milhões na manutenção do sistema de defesa sanitária estadual.

“Os prejuízos econômicos, a ausência de uma política efetiva e permanente de defesa sanitária agropecuária implicam na diminuição da qualidade de vida dos consumidores devido à qualidade dos produtos ficar comprometida”, observa.

O projeto-A proposta de lei estipula que os “os recursos orçamentários provenientes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios destinados à execução de ações de vigilância e defesa sanitária dos animais e vegetais não serão passíveis de limitação de empenho e movimentação financeira, nos termos de lei complementar que dispuser sobre normas de finanças voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal”.

O texto também cria o Programa de Duração Continuada de Vigilância e Defesa Sanitária Agropecuária, com objetivo de garantir a sanidade das populações vegetais; a saúde dos rebanhos animais; a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Carro colidiu com coqueiro na rodovia (Digulgação/PM) TRAGÉDIA ENTRE JARDIM E BONITO
Cinco ficam feridos e bebê de um mês morre após carro colidir com coqueiro entre Jardim e Bonito
O maior jogador de futebol argentino, Diego Maradona morre aos 60 anos - Crédito: REPRODUCAO LUTO NO ESPORTE
Diego Maradona morre aos 60 anos
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Reinaldo entrega 420 equipamentos de combate ao mosquito Aedes aegypti e destaca sintonia no combate
BONITO - MS - TRANSIÇÃO
Odilson destaca 'transição harmoniosa' e de respeito com equipe do prefeito eleito em Bonito (MS)
BONITO - MS - AÇÃO DA PMA
Arrendatário multado em R$ 124 mil por causar turbidez na água de córrego e rio afluentes do Formoso
BONITO - MS - AÇÕES
Estado e Sudeco se unem para adequar estradas e evitar turvamento de rios de Bonito (MS)
PREVISÃO DO TEMPO
Chuva só em dezembro, quarta-feira de sol forte em todo MS
Máscaras no queixo, na bolsa, sobre a mesa, e as aglomerações excessivas são causas preocupantes - Fotógrafo Álvaro Rezende SEGUNDA ONDA
Alerta: Hospital Regional começa a faltar leitos de Covid-19, taxa de ocupação atinge 110%
BONITO - BODOQUENA E JARDIM
Convênio firmado e compra de maquinários vai adequar estradas vicinais de Bodoquena, Jardim e Bonito
Zezé Di Camargo canta durante velório do pai, Francisco Camargo, em Goiânia  Foto: Vítor Santana G1 TRISTE PARTIDA
Zezé Di Camargo toca sanfona e canta 'É o Amor' durante velório do pai