Menu
segunda, 23 de maio de 2022
Busca
SAF CELULAR
TURISMO A TODO VAPOR

Pagamento por serviços ambientais, criado pelo Estado, certifica a produção rural e o turismo

21 Jan 2022 - 14h42Por Subsecretaria de Comunicação, Subcom

Com adesão dos produtores rurais de Bonito e Jardim, o Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), instituindo pelo Governo de Mato Grosso do Sul, vai estimular e ampliar as práticas conservacionistas na Serra da Bodoquena e se estender a outras regiões do Estado. A premiação também dará a certificação de sustentabilidade às atividades da propriedade rural, seja de produção agropecuária e turismo ou como área de proteção ambiental.

A grande oportunidade de ter sua propriedade reconhecida, agregando valor ao que produz e ter recursos para ampliar as boas ações de conservação do solo e água, atraiu um grande número de empresários rurais dos dois municípios às reuniões promovidas pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), nos dias 19 e 20, para detalhamento da primeira etapa do programa.

“Estamos iniciando o programa e esta etapa, contemplando uma região estratégica do ponto de vista ambiental, abrirá as portas para que tenhamos mais recursos disponíveis e, assim, darmos maior abrangência ao propósito dessa ação e ampliá-la para outras regiões”, disse Rogério Beretta, superintendente de Ciência, Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro.

Patrulha ambiental

Durante as reuniões com os produtores para detalhamento do Programa, Beretta ressaltou as ações do Governo do Estado para garantir a proteção dos mananciais da Serra da Bodoquena, sobretudo a partir do processo de turvamento das águas do Prata e do Formoso em 2018. Ele lembrou que as primeiras medidas da Semagro foram a criação da Câmara Técnica de Conservação do Solo e Água e a busca de alternativas para uso correto dos recursos naturais.

O Programa do Governo do Estado atraiu o interesse dos produtores de Bonito e Jardim

“Nos aprofundamos em estudos técnicos para minimizar de imediato os impactos com a exploração do solo, e mais recentemente o governador Reinaldo Azambuja sancionou a lei de proteção dos banhados da Serra da Bodoquena”, disse o superintendente. Ele adiantou aos produtores que, em fevereiro, a região será contemplada pelo governo com uma patrulha mecanizada ambiental, em apoio às prefeituras, adquirida ao custo de R$ 2,8 milhões.

Bonito será modelo

Com mais de 280 propriedades integrando as bacias dos rios Formoso e Prata, Bonito e Jardim foram os primeiros municípios contemplados pelo PSA, na modalidade Rios Cênicos. O programa oferece prêmios em dinheiro para quem executa medidas de proteção ambiental na área delimitada ao longo dos leitos dos dois rios. Por meio de Edital, a Semagro selecionará as propriedades inscritas e avaliará tecnicamente as práticas conservacionistas desenvolvidas.

“É uma iniciativa louvável do governo, vai contribuir em muito para o meio ambiente e para a renda do produtor”, afirmou a vice-presidente do Sindicato Rural de Bonito, Elza Maria Trevelin. “Vamos participar do programa e, com certeza, Bonito será modelo para as demais regiões. Estamos imbuídos em explorar o uso do solo com sustentabilidade, não apenas para garantir a nossa produção, mas preservar nossos rios e toda essa biodiversidade”, garantiu.

Inscrições abertas

Por iniciativa do Ministério Público, o valor disponibilizado inicialmente para o PSA é de R$ 942.849,85, recursos do Fundo de Defesa e Reparação de Interesses Difusos e Lesados (Funles), gerido pela Semagro. Os produtores de Bonito e Jardim têm prazo até 11 de fevereiro para aderirem, não havendo limite de inscrições. Poderão participar proprietários e arrendatários que desenvolvem algum sistema produtivo sustentável.

No processo seletivo, técnicos do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS) farão vistorias nas propriedades para conferir as ações desenvolvidas e definir a pontuação, com a qual se fixará o valor da premiação, cujo teto é de R$ 27 mil, independentemente do tamanho do imóvel. O governo proporá aos premiados um plano de melhorias para ampliar seus índices produtivos e ambientais, com apoio técnico de vários órgãos, visando a segunda etapa do programa.

O PSA conta com a parceria das Ongs IASB (Instituto das Águas da Serra da Bodoquena) e WWF-Brasil. As ações do programa estão divididas em sete áreas temáticas: Apoio e Valorização do Conhecimento Tradicional, Serviços Ambientais das Unidades de Conservação, Regulação do Clima e do Carbono, Conservação e Valorização da Biodiversidade, Conservação dos Serviços Hídricos, Conservação e Uso do Solo, e Beleza Cênica e Turismo.

Participaram das reuniões com os produtores rurais de Bonito e Jardim o superintendente de Meio Ambiente e Turismo da Semagro, Pedro Mendes Neto; a bióloga Sylvia Torrecilha, do Imasul; e o presidente do IASB, Eduardo Coelho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fotos: Bruno Rezende AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Programa Mais Social garante alimento para famílias em situação de vulnerabilidade em MS
PROCESSO SELETIVO VAGAS DE EMPREGO
Prefeitura de MS abre vagas de nível fundamental e salários de R$ 1,6 mil
Trabalhadores do IBGE - (Foto: Divulgação) LISTA DE APROVADOS
Concurso IBGE: Confira a lista dos aprovados em MS que irão atuar no Censo 2022
MOTORISTAS
Autoescola pode deixar de ser obrigatória para tirar a CNH
Foto: Prefeitura de Bonito BONITO - EVENTO INTERNACIONAL
Inspira Ecoturismo: Fundtur participa de evento internacional em Bonito para discutir o segmento
FOTO: ASSESSORIA BONITO - MS - PROGRAMA LANÇADO
Bonito sai na frente e lança programa de destinação correta do óleo de cozinha
BONITO - MS - OPORTUNIDADES
Sala do empreendedor está com inscrições abertas para cursos de operador e vendedor de computadores
CNH SOCIAL -
CNH DE GRAÇA: 5 mil pessoas são contempladas, confira a lista
BONITO - MS - BALNEÁRIO MUNICIPAL TURISMO EM MS
Bonito lidera índices, destinos de MS recuperam turismo pré-pandemia, veja os dados
Prefeito Josmail Rodrigues de Bonito BONITO - PROJETO DE LEI
Prefeito apresenta projeto que autoriza 'perdão' das dívidas do IPTU para isentos, entre 2018 e 2021