Menu
sbado, 16 de janeiro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO

ONU acusa Brasil de desalojar pessoas à força por conta da Copa e Olimpíada

26 Abr 2011 - 13h33Por Estadão.com

A relatora especial da ONU para a Moradia Adequada, Raquel Rolnik, acusou nesta terça-feira as autoridades de várias cidades-sede da Copa do Mundo e do Rio de Janeiro, que receberá a Olimpíada, de praticar desalojamentos e deslocamentos forçados que poderiam constituir violações dos direitos humanos.

"Estou particularmente preocupada com o que parece ser um padrão de atuação, de falta de transparência e de consulta, de falta de diálogo, de falta de negociação justa e de participação das comunidades afetadas em processos de desalojamentos executados ou planejados em conexão com a Copa e os Jogos Olímpicos", avaliou.

Raquel destacou que os casos denunciados se produziram em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Natal e Fortaleza.

A relatora explicou que já foram feitos múltiplos despejos de inquilinos sem que se tenha dado às famílias tempo para propor e discutir alternativas. "Foi dada insuficiente atenção ao acesso às infraestruturas, serviços e meios de subsistência nos lugares onde essas pessoas foram realojadas", afirmou Raquel.

"Também estou muito preocupada com a pouca compensação oferecida às comunidades afetadas, o que é ainda mais grave dado o aumento do valor dos terrenos nos lugares onde se construirá para estes eventos", acrescentou.

Raquel citou vários exemplos, como o de São Paulo, onde "milhares de famílias já foram evacuadas por conta do projeto conhecido como 'Água Espraiada', onde outras dez mil estão enfrentando o mesmo destino".

"Com a atual falta de diálogo, negociação e participação genuína na elaboração e implementação dos projetos para a Copa e as Olimpíadas, as autoridades de todos os níveis deveriam parar os desalojamentos planejados até que o diálogo e a negociação possam ser assegurados".

Além disso, a relatora solicitou ao Governo Federal que adote um "Plano de Legado" para garantir que os eventos esportivos tenham um impacto social e ambiental positivo e que sejam evitadas as violações dos direitos humanos, incluindo o direito a um alojamento digno.

"Isto é um requerimento fundamental para garantir que estes dois megaeventos promovam o respeito pelos direitos humanos e deixam um legado positivo no Brasil", finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREFEITO DE CIDADE DE MS
EM LIVE, Prefeito com covid sente muita falta de ar, chora e diz que vai tomar medidas mais pesadas
CORONAVÍRUS NO MS
Mais 13 óbitos e 1.316 exames positivos de Covid-19 nas últimas 24h em MS
SMS DA DEFESA CIVIL
Em período chuvoso, saiba como receber alertas da Defesa Civil por SMS
TURISMO NA ESPERA DA VACINA
Turismo de MS espera vacinação e já planeja duas campanhas para fomentar o setor
A equipe está empenhada em atender a população. Foto: Marlan Pinheiro BONITO - MS - AÇÃO CONTRA O CORONAVÍRUS
Saúde cria estratégia para sanar aumento da covid intensificando o atendimento no Bigaton em Bonito
BONITO E MAIS 3 CIDADES
BONITO tem vaga, Sebrae abre processos seletivos com vagas na Capital e interior
BONITO - MS - VISITA NO LIXÃO
Prefeito visita 'lixão' e estuda local para construção de guarita e instalação de cercas em Bonito
BONITO - MS - DINHEIRO PARA ENTIDADES
Juíza libera mais de R$ 134 mil oriundas de penas pecuniárias para instituições de Bonito (MS)
PLANTÃO POLICIAL BONITO - MS - CASO DE POLÍCIA
Homem é roubado por trio e abandonado esfaqueado em estrada em Bonito (MS)
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Auxílio emergencial 2021 tem 03 saques confirmados para próxima semana