Menu
sexta, 23 de outubro de 2020
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO

Ministra diz que obras de infraestrutura não podem atropelar direitos sociais

14 Mai 2011 - 15h25Por Agência Brasil

As grandes obras de infraestrutura em curso no Brasil devem beneficiar as comunidades e não trazer prejuízos a elas. A avaliação é da ministra da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, ao comentar o relatório da Anistia Internacional que constatou que algumas comunidades estão enfrentando ameaças de despejo por causa dos projetos de infraestrutura planejados para a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

A ministra garantiu à Agência Brasil que o governo federal acompanha de perto a situação. “O governo está atento, não somente à situação do Rio de Janeiro, mas de todas as capitais que recebem importantes empreendimentos com vistas aos grandes eventos. E nós não permitiremos que essas obras ocorram sem que se tenha uma atenção redobrada aos direitos sociais e à cidadania dessas comunidades que devem ser beneficiadas por essas obras”.

Para Maria do Rosário, é preciso escutar as comunidades para produzir soluções efetivas para assegurar moradia digna. Ela lembra que muitas famílias estão em situação precária e de risco, como em beiras de arroios e encostas de morros. “Essas comunidades têm que ser ouvidas sobre a nova localização de suas moradias, mas é inegável que não se pode deixar essas pessoas em situação de risco”.

A ministra relatou que um grupo de trabalho, formado por membros da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, e dos ministérios da Cultura, dos Esportes e das Cidades, está em contato com todas as capitais brasileiras onde estão sendo realizados grandes empreendimentos para que seja assegurado o respeito às comunidades atingidas, especialmente quando há a necessidade de realocação das famílias.

Em relação às críticas da Anistia Internacional sobre a violência policial e a situação dos presídios no Brasil, Maria do Rosário disse que o governo brasileiro é o principal interessado na superação das violações dos direitos humanos no país e tem trabalhado neste sentido.

Ela pediu o apoio da comunidade internacional no reconhecimento do esforço brasileiro. “Nós contestamos um certo tom pessimista do relatório [da Anistia Internacional]. Assim como assumimos a existência de violações e nos colocamos como aqueles que devem prestar contas e afirmar os direitos humanos no Brasil, muitas ações estão em curso para enfrentar as violações de direitos humanos e não descansaremos enquanto elas não tiverem resposta”.
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

cárcere privado
Após denúncia, idoso é resgatado de cárcere privado em MS
MEIO AMBIENTE
Pescador é preso por capturar peixes abaixo da medida permitida por lei
COVID-19
Bonito registra mais 5 novos casos de covid-19
BONITO - MS - PESQUISA IMPUGNADA
Pesquisa eleitoral é impugnada e será objeto de investigação eleitoral em Bonito (MS)
MEIO AMBIENTE
Fundação Neotrópica realiza 2º encontro de Comdemas do corredor Miranda- Bodoquena
Sorteio
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 32 milhões nesta quinta-feira
Meteorologia
Quinta-feira deve ser quente e com possibilidade de chuva, Bonito (MS)
Instituto de Desenvolvimento de Bonito
IDB INFORMA: agentes do Sebrae vão reforçar biossegurança em Bonito no feriado de finados
DEPUTADOS CANDIDATOS A PREFEITO
Com 04 deputados sendo candidatos a prefeito, veja quem entra se caso ganharem as eleições
BOLETIM CORONAVÍRUS EM MS
Bonito registra mais 04 casos e no MS, jovem de 15 anos é uma das vítimas do covid nas últimas 24h