Menu
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO

Falha no Facebook pode ter tornado públicos dados privados de usuários

11 Mai 2011 - 07h25Por G1

Uma brecha na forma que o Facebook autoriza os aplicativos instalados pelos internautas a interagir com seus perfis na rede social pode ter vazado dados dos usuários, segundo nota divulgada nesta terça-feira pela empresa de seguraça Symantec.

De acordo com a criadora do antivírus Norton, cerca de 100 mil aplicativos compatíveis com o Facebook tinham um bug - já corrigido pelos programadores da rede social - que liberava o acesso ao conteúdo protegido para anunciantes e serviços de medição de acesso terceirizados, entre outros.

Segundo a empresa, o a "chave" ou código autorizador (chamado de token) de cerca de 100 mil aplicativos pode ter sido compartilhada com publicitários por acidente, o que permitiu o acesso a dados e fotos do perfil, por exemplo, e a qualquer outra informação que o programa estava autorizado a acessar. O bug foi corrigido pelos desenvolvedores da rede social

“Tememos que muitos desses tokens podem ainda estar registrados em logs de servidores de terceiros ou ainda sendo usados por anunciantes. Usuários de Facebook preocupados podem modificar a senha para invalidar os tokens vazados”, afirmou a Symantec, em nota assinada pelos especialistas Nishant Doshi e Candid Wueest.

O problema existe apenas no protocolo antigo de autenticação de apps no Facebook que, apesar de já ter um sucessor no qual a brecha não existe, ainda é usado por milhares de apps. O erro foi confirmado e corrigido pela rede social, segundo a fabricante de antivírus, mas códigos de autorização funcionais ainda podem estar circulando. Somente a troca de senha é capaz de desativar esses códigos.

A Symantec explica que um app obtém do Facebook o código de acesso diretamente na URL e que, quando a página do app carrega outros recursos – como uma imagem de um servidor externo ou uma peça publicitária – esse código é vazado por meio do recurso conhecido como “HTTP Referrer”. É uma função dos navegadores que avisa o site B quando o internauta o acessa a partir de um link (referência) do site A.

O código autorizador possui apenas permissões limitadas – as mesmas que o usuário autoriza o app a realizar. No entanto, o vazamento pode ter dado a anunciantes o acesso a dados restritos dos internautas – o que seria uma violação da política de privacidade do Facebook, que nega o compartilhamento de dados com publicitários.

A maioria dos tokens expira logo depois de serem usados, mas alguns são cadastrados como “tokens off-line”, que continuam funcionando mesmo quando o usuário sai do Facebook. Esses tokens tem validade indefinida e podem ser os mais utilizados para o vazamento.

A Symantec estima que 100 mil apps tenham o bug. O Facebook acredita que nenhum dado foi obtido sem autorização, e o problema já estaria corrigido.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ADIADA
Chuvas adia visita do governador em exercício em Bonito (MS)
BONITO - MS - VACINAÇÃO
Vacinação para idosos acima de 75 anos começa nesta quinta-feira (28), em Bonito
ACIDENTE FATAL
Carro é partido ao meio e uma pessoa morre em acidente em MS
BONITO - MS - A FILA VAI ANDA
Com 400 pacientes aguardando, corpo clínico do Darci Bigaton retoma cirurgias eletivas em Bonito
Serão beneficiadas 3,3 milhões de pessoas - Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil AUXÍLIO EMERGENCIAL
AINDA NÃO SACOU: Auxílio emergencial tem última parcela para saque hoje
MACABRO
Macabro: Bombeiros descobrem ossada de homem dentro de fossa em Maracaju
MS NA PANDEMIA
Pandemia não impede que MS tenha número recorde de novas empresas abertas em 2020
CORONAVÍRUS EM MS
Mato Grosso do Sul registra 582 novos casos de Covid e 9 óbitos nas últimas 24h
ACIDENTE NAS ESTRADAS
Incêndio derrete ônibus de viagem que trazia 40 pessoas para Campo Grande
TURISMO EM MS
Estudo para concessão de parques estaduais deve ser concluído no 1° semestre