Menu
sbado, 24 de julho de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JUNHO

Erros em livros distribuídos por ministério podem prejudicar estudantes

17 Mai 2011 - 14h33Por Agência Brasil

Apesar de não ser o tema da reunião de hoje (17) da Comissão de Educação do Senado, o uso de termos coloquiais da língua portuguesa, inclusive com erros gramaticais, em livros didáticos distribuídos pelo Ministério da Educação (MEC) norteou o debate dos parlamentares. Inicialmente, a audiência foi marcada para discutir com o ministro Fernando Haddad a comparação histórica entre os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e de Fernando Henrique Cardoso em publicações do MEC para a rede pública. Como o ministro não compareceu, o tema tornou-se secundário.

Para o ex-ministro da Educação do governo Lula Cristovam Buarque existe um risco de se criar duas formas de falar o português. No entender do pedetista, os estudantes da rede pública, ao adotar erros de concordância verbal como regra, não terão a menor chance de passar em um concurso, por exemplo. “Tem que se ter em mente uma questão fundamental: sotaque e regionalismos são uma coisa. A língua portuguesa é outra”, destacou.

Marisa Serrano (PSDB-MS) disse que a ausência do ministro prejudicou os debates. “Ele tem que dar explicações sobre esses fatos. Todos os brasileiros são obrigados a aprender o português.”

O presidente da Associação Brasileira de Editores de Livros (Abrelivros), Jorge Yunes, disse que o importante, no debate, é contextualizar aos estudantes o porquê de a língua portuguesa constar no livro didático "daquela forma". Segundo ele, o certo é o professor "contextualizar a linguagem coloquial e, ao mesmo tempo, ensinar o português oficial".

Com a ausência de Haddad, a comissão dispensou da audiência três representantes do ministério que debateriam a comparação histórica entre os governos Lula e Fernando Henrique Cardoso. O presidente do colegiado, Roberto Requião (PMDB-PR), justificou sua decisão afirmando que o convite foi feito ao ministro Haddad e não a eles. “Eles não foram convidados. Nós convidamos o ministro”, afirmou Requião.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANTERA EM AÇÃO BONITO - MS - VEREADO EM AÇÃO
Pantera destaca o atendimento ao pequeno produtor durante visita ao departamento em Bonito (MS)
BONITO - MS - A RETOMADA
Depois de um ano de desafios e restrições, turismo já dá sinais de retomada em Bonito (MS)
BONITO - PMA BONITO - NOVA SEDE PMA
PMA ganha terreno de 4.000 m² e terá nova Sede ampla com 630 metros quadrados em Bonito (MS)
VACINA CORONAVÍRUS EM MS
ALERTA: Não é momento de descuidar, taxa de contágio tem leve aumento em MS
CASO DE POLÍCIA
Ladrão causa curto-circuito ao furtar fios de um poste de energia em MS
GUARDA MUNICIPAL DE BONITO BONITO - MS - MELHORIAS NA GUARDA MUNICIPAL
Sejusp e Guarda Municipal discutem fortalecimento da segurança no município de Bonito (MS)
BONITO TRATOR BONITO - MS - PARCERIA
Prefeitura cede trator com terraceador ao IASB para utilização no Projeto Águas de Bonito
ASTRAZENECA VACINA ASTRAZENECA
AstraZeneca: 02 doses têm proteção de 93,6% contra mortes por Covid, entenda sobre a 1ª e 2ª
ACIDENTE FATAL
Coordenadora de compras é encontrada morta caída ao lado de sua Honda Biz em Aquidauana
VACINA VACINAÇÃO COVID EM MS
A cada 10 pessoas em MS, 3 foram completamente imunizadas