Menu
sexta, 23 de outubro de 2020
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO

Doenças psiquiátricas roubam mais anos de vida do brasileiro

10 Mai 2011 - 13h46Por Folha.com

Com mudanças no estilo de vida dos brasileiros, os transtornos psiquiátricos passaram a ocupar lugar de destaque entre os problemas de saúde pública do país.

De acordo com dados citados em uma série de estudos sobre o Brasil, publicada ontem no periódico médico "Lancet", as doenças mentais são as responsáveis pela maior parte de anos de vida perdidos no país devido a doenças crônicas.

Essa metodologia calcula tanto a mortalidade causada pelas doenças como a incapacidade provocada por elas para trabalhar e realizar tarefas do dia a dia.

Segundo esse cálculo, problemas psiquiátricos foram responsáveis por 19% dos anos perdidos. Entre eles, em ordem, os maiores vilões foram depressão, psicoses e dependência de álcool.

Em segundo lugar, vieram as doenças cardiovasculares, responsáveis por 13% dos anos perdidos.

Outros dados do estudo mostram que de 18% a 30% dos brasileiros já apresentaram sintomas de depressão.

Na região metropolitana de São Paulo, uma pesquisa, com dados de 2004 a 2007, mostrou que a depressão atinge 10,4% dos adultos.

Não é possível dizer se o problema aumentou ou se o diagnóstico foi ampliado, diz Maria Inês Schmidt, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e uma das autoras do estudo.

Ela afirma também que são necessários mais estudos para saber de que forma o modo de vida nas cidades pode influenciar o aparecimento da depressão, além das causas bioquímicas.

No caso da dependência de álcool, no entanto, há uma relação com o estilo de vida, uma vez que pesquisas recentes do Ministério da Saúde apontam um aumento no consumo abusivo de bebidas.

IDADE AVANÇADA

O envelhecimento da população também contribui para o aparecimento de transtornos psiquiátricos.

De acordo com o estudo, a mortalidade por demência aumentou de 1,8 por 100 mil óbitos, em 1996, para 7 por 100 mil em 2007.

"O Brasil mudou com consumo de álcool, envelhecimento e obesidade e, com isso, temos novos problemas de saúde", disse o ministro Alexandre Padilha (Saúde).

Em relação às doenças psiquiátricas, ele afirmou que a pasta irá expandir os Caps (centros de atenção psicossocial) e aumentar o número de leitos para internações de curto prazo.

A série de estudos do "Lancet" coloca como outros problemas emergentes de saúde diabetes, hipertensão e alguns tipos de câncer, como o de mama. Eles estão associados a mudanças no padrão alimentar, como o aumento do consumo de produtos ricos em sódio.

Por outro lado, a mortalidade por doenças respiratórias caiu, principalmente devido à redução do número de fumantes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

cárcere privado
Após denúncia, idoso é resgatado de cárcere privado em MS
MEIO AMBIENTE
Pescador é preso por capturar peixes abaixo da medida permitida por lei
COVID-19
Bonito registra mais 5 novos casos de covid-19
BONITO - MS - PESQUISA IMPUGNADA
Pesquisa eleitoral é impugnada e será objeto de investigação eleitoral em Bonito (MS)
MEIO AMBIENTE
Fundação Neotrópica realiza 2º encontro de Comdemas do corredor Miranda- Bodoquena
Sorteio
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 32 milhões nesta quinta-feira
Meteorologia
Quinta-feira deve ser quente e com possibilidade de chuva, Bonito (MS)
Instituto de Desenvolvimento de Bonito
IDB INFORMA: agentes do Sebrae vão reforçar biossegurança em Bonito no feriado de finados
DEPUTADOS CANDIDATOS A PREFEITO
Com 04 deputados sendo candidatos a prefeito, veja quem entra se caso ganharem as eleições
BOLETIM CORONAVÍRUS EM MS
Bonito registra mais 04 casos e no MS, jovem de 15 anos é uma das vítimas do covid nas últimas 24h