Menu
quinta, 6 de maio de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JANEIRO

Conselho cria comissão para solucionar questão indígena no MS

30 Mai 2011 - 07h39Por CNJ

Depois de dois dias de discussão, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu criar uma comissão para solucionar o conflito fundiário entre índios e produtores rurais na região de Dourados, no Mato Grosso do Sul. A comissão será composta por indígenas, produtores rurais, Ministério Público Federal, Advocacia-Geral da União, representantes de academias, Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. ,p>A criação da comissão vem ao encontro de uma recomendação do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), afirmou Christiana Freitas, coordenadora-geral do Conselho, que representou a ministra Maria do Rosário no seminário “Questões Fundiárias em Dourados”, promovido pelo CNJ. “Entre nós, pessoas, está a possibilidade de resolver a questão”, afirmou Christiana.

A comissão será instalada o mais rápido possível, informou Marcelo Martins Berthe, juiz auxiliar da Presidência do CNJ e coordenador do Fórum de Assuntos Fundiários. “Temos esperança de, no prazo mais curto possível, pelo menos diminuir um pouco o sofrimento do povo indígena e a insegurança dos produtores rurais”, disse.

Os integrantes da comissão vão analisar todos os pontos levantados durante o seminário, entre eles a possibilidade de estabelecer uma nova política indigenista para o Brasil. Durante os debates, indígenas, produtores, especialistas e autoridades públicas reclamaram da falta de política pública para as populações indígenas. Para eles, o modelo adotado até hoje de demarcação de reservas não soluciona o problema dos índios, que precisam ter condições de produzir e de obter renda para viver com dignidade.

Os indígenas aplaudiram a decisão e encerraram o evento com um ritual religioso, quando benzeram os juízes do CNJ e também líderes dos produtores rurais. “É uma reza para resolver um problema de 500 anos”, informou o cacique Anastácio Peralta, acrescentando: “Nosso país não é feito só de soja. É feito de pessoas”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Facão usado pelo rapaz para ameaçar moradores e servidores da Emei. (Foto: Paulo Francis) CASO DE POLÍCIA
Após ataque em SC, homem com facão assusta equipe de creche em MS
BONITO - MS - VACINAÇÃO CONTRA COVID
De 54 anos, gestantes com liberação médica e puérperas serão vacinadas nesta quinta em Bonito
BONITO - MS - MONITORAMENTO
Turbidez e visibilidade da água do Rio Formoso no Balneário Municipal são monitorados em Bonito
BONITO - MS - TRABALHOS NÃO PARAM
Prefeitura realiza operação tapa-buraco nas ruas de vilas e bairros em Bonito (MS)
VACINAÇÃO EM MS
Prefeitura abre pré-cadastro para vacinação de pessoas entre 30 e 39 anos
Tatyane Santinoni, Agepen AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Para estruturação dos trabalhos, Agepen recebe mais uma viatura doada pelo Depen
PROTEÇÃO A MULHER
PROTEÇÃO A MULHER: Emenda proíbe que condenados por violência doméstica virem servidores
CUIDADO COM FOGO
Fogo em terreno baldio quase causa tragédia, polícia e bombeiros foram acionados
AÇÃO DA PMA
Homem é multado por desmatar, queimar vegetação e construir casa tudo dentro da área protegida
Crédito: Hedio Fazan/Dourados News DIA DAS MÃES NA PANDEMIA
Decreto reduz toque de recolher na semana do Dia das Mães