Menu
quinta, 5 de agosto de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JUNHO

Brasil reduz em 39% emissões de gases de efeito-estufa

7 Jun 2013 - 13h30Por O Estado de SP

As emissões brasileiras de gases do efeito-estufa caíram 39% entre 2005 e 2010, graças à redução no desmatamento da Amazônia, segundo os dados do novo inventário nacional, divulgado nesta quarta-feira em Brasília. Com isso, o País já cumpriu 65% de sua meta voluntária de redução de emissão de gases relacionados ao aquecimento global, estabelecida para 2020.

Em números absolutos, o Brasil emitiu 1,25 bilhão de toneladas de CO2 equivalente (medida que combina todos os gases em uma única conta) em 2010, comparado a 2,03 bilhões de toneladas em 2005. Toda essa redução deve-se, essencialmente, ao combate do desmatamento na Amazônia, que nos mesmos cinco anos caiu 63%. Em todos os outros setores, as emissões do País cresceram: energia (21,4%), indústria (5,3%), agropecuária (5,2%) e tratamento de resíduos (16,4%). Excluindo as florestas da conta como um todo, as emissões do País no período aumentaram 12%.

“Os números marcam claramente uma mudança no perfil de emissões do Brasil, que passa a ter menos cara de país tropical e fica com mais cara de país industrializado”, avaliou Guarany Osório, do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas.

Segundo ele, a competitividade que o Brasil tinha de poder reduzir suas emissões simplesmente pela redução do desmatamento está próxima de acabar, o que exigirá mais investimento em ciência, tecnologia e parcerias com o setor privado para diminuir emissões também nas outras áreas.

O pesquisador Carlos Nobre, secretário de Políticas e Programas de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), fez uma análise bastante positiva dos números, ressaltando que o crescimento registrado nos setores de energia e agropecuária ficou abaixo do que era projetado para o período. “Não vejo pontos preocupantes”, afirmou.

Segundo Nobre, a produção agrícola do País cresceu muito mais do que as emissões do setor, o que significa que, proporcionalmente a “intensidade de carbono” da atividade diminuiu. O mesmo ocorreu no setor energético, com o aumento do uso de fontes renováveis.

Um ponto que merece atenção, segundo o engenheiro florestal Tasso Azevedo, consultor na área de clima e florestas, é o fato de o governo ter considerado na conta as emissões “líquidas” - descontando o dióxido de carbono que é absorvido naturalmente pelas florestas. “Sem isso há uma diferença considerável; as emissões passam de 1,5 bilhão de toneladas (em vez de 1,25 bilhão)”, calcula. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tatyane Santinoni, Agepen AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo amplia número de vagas do último concurso da Agepen
Apostador anota números em talão da Mega-Sena. (Foto: Arquivo / Campo Grande News) SERÁ QUE FOI VOCÊ
Sortudo de MS fatura R$ 4 milhões da loteria
VACINA DOSES DE ESPERANÇA
Mato Grosso do Sul recebe 62.230 doses de vacinas contra Covid-19
BONITO - MS - 73 ANOS
Prefeito apresenta projetos ao deputado Paulo Corrêa que serão executados no aniversário de Bonito
VACINA BONITO - BORA VACINAR
VACINA NO BRAÇO: Pessoas a partir de 27 anos será nesta quinta, veja horário e local em Bonito
Foto: ASSESSORIA OPORTUNIDADE UEMS
UEMS aprova oferta de vagas para os processos seletivos de 2022
Fotos: Prefeitura Municipal de Maracaju AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Maracaju vai receber mais 144 bases do Programa Lote Urbanizado
AÇÕES DEPUTADA MARA CASEIRO
Agosto Lilás: Deputada Mara aborda representatividade feminina na política
AUXÍLIO AUXÍLIO EMERGENCIAL
Auxílio Emergencial 2021: Pagamento da 5ª, 6ª, e 7ª parcela para os seguintes grupos
BONITO - MS - VACINAÇÃO CONTRA COVID
HOJE tem vacina Covid para pessoas a partir de 28 anos, veja horário e local em Bonito (MS)