Menu
sexta, 24 de setembro de 2021
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO JUNHO
ALTO PREÇO

Depois da carne, preço do pão é que pode subir, alerta ministra Tereza Cristina

Preocupação é fruto de medidas econômicas do novo governo do país vizinho

18 Dez 2019 - 09h51Por Redação

Medidas econômicas tomadas pelo novo governo argentino podem causar alta no preço do pão, alertou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta terça-feira (17). Estima-se que 80% do trigo consumido pelo Brasil venha do país vizinho.

Conforme a Isto É, o governo d Alberto Fernández sobretaxou as exportações do produto na Argentina. Ele pretende equilibrar os preços dos produtos no mercado interno e também aumentar a arrecadação de tributos para o país, que vive uma profunda crise econômica.

O Brasil, segundo a ministra, consome seis milhões de toneladas do trigo argentino. ''Espero que o pão não suba de preço'', declarou Tereza. O preço da carne se estabilizou depois de ter alta de até 30% no mercado brasileiro. O motivo também foi externo, já que a China aumentou a compra de carne bovina, em razão de doenças no rebanho suíno do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONIITO - PARCERIA
BONITO: Lâmpadas de LED e câmeras de segurança são destaques da parceria com Energisa e FIEMS
TRISTE REALIDADE
Rio Miranda sofre com assoreamento e corre risco de 'secar'
ICMS DA CONTA DE LUZ
Aprovado na Assembleia, projeto que reduz imposto da conta de luz
RESTITUIÇÃO INSS
INSS: Saiba quem pode receber os atrasados em 2021 e 2022, veja o calendário
VEJA COMO FAZER
Governo reabre inscrições do Programa 'Incentiva+MS Turismo' de R$ 1 mil para guias de turismo
LEILÃO DOS CORREIOS
Leilão virtual dos Correios oferecerá cerca de 61 mil produtos, incluindo iPhones e computadores
CONTA DE LUZ
Conta de luz pode ter um desconto de 100% com o novo programa Tarifa Social, CONFIRA
PROVA DE VIDA
INSS: Quase 5 milhões terão de fazer prova de vida até 2022, CONFIRA
PIS/PASEP
PIS/Pasep: Caixa anuncia montante a ser sacado; saiba quem tem direito
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS e mais 19 governadores reforçam que preço da gasolina é um 'problema nacional'