Menu
quarta, 20 de outubro de 2021
Busca
BONITO ÁGUAS GREEN WEEK
ELE ESTÁ AFASTADO

Juiz que barrou lavrador por usar chinelo é condenado a pagar R$ 12 mil

10 Mar 2017 - 08h58Por G1

O juiz do trabalho Bento Luiz de Azambuja Moreira foi condenado a pagar cerca de R$ 12 mil à União - valor é referente à indenização paga ao agricultor Joanir Pereira, de Cascavel, no oeste do Paraná, em uma ação por danos morais.

Em 2007, o magistrado interrompeu uma audiência porque o agricultor estava de chinelos. Na ocasião, alegou que o calçado "atentaria contra a dignidade do Judiciário".

O G1 tentou contato com o agricultor para que ele comentasse a decisão. A esposa dele, Nadir, informou que o marido trabalha em Boa Vista da Aparecida em um local em que não tem acesso a telefone celular durante a semana.

Em 2013, Joanir Pereira recebeu da União uma indenização de R$ 10 mil. Agora, em outra decisão, Bento Luiz de Azambuja Moreira foi condenado a ressarcir o valor aos cofres públicos.

A sentença do juiz federal Alexandre Gauté afirma que Bento Luiz de Azambuja Moreira agiu “com culpa grave” e “de forma imprudente”. Na sentença, Gauté lembrou que juízes estão sujeitos a responsabilização civil por atos administrativos que causem danos a terceiros, mesmo que praticados sem a intenção de provocar qualquer prejuízo.

Ainda segundo o juiz federal, a atitude de Moreira "abalou a moral" do agricultor, que compareceu à audiência de calça comprida e camisa social, não usava sapatos fechados porque não tinha este tipo de calçado e não tinha a intenção de ofender a dignidade do Judiciário.

"Era natural (previsível) que o sr. Joanir viesse a se sentir moralmente ofendido, como acabou ocorrendo, quando soubesse [por seu advogado] que a audiência não foi realizada porque ele estava calçando chinelos, a despeito de estar vestido com calça comprida e camisa social", disse em outro trecho da sentença.

A Procuradoria da União no Paraná, braço da Advocacia-Geral da União (AGU) no estado e responsável pela ação contra o juiz, destacou que a conduta do juiz foi “absolutamente irrazoável e socialmente discriminatória” por não levar em conta que trabalhadores rurais muitas vezes não têm dinheiro suficiente até mesmo para suprir as necessidades básicas.

“Nesse contexto, discriminar tais cidadãos e subtrair-lhes direitos simplesmente porque não usam sapatos fechados representa uma insensibilidade absurda, que beira a desumanidade. Se já seria grave tal tipo de discriminação quando exercida por qualquer pessoa, beira o surrealismo imaginar que tal preconceito partiu de um juiz do Trabalho que tem por obrigação promover a solução de conflitos entre tais empregados e seus empregadores, assegurando, assim, a concreção da garantia fundamental de acesso à Justiça”.

Em nota, a AGU lembrou que o pedido de ressarcimento não pretendia afrontar a autonomia do Judiciário e a liberdade dos juízes para julgar, mas somente “assegurar o cumprimento de preceitos constitucionais que asseguram a igualdade de tratamento entre as pessoas e a celeridade na tramitação de processos”.

Atualmente o juiz Bento Azambuja Moreira é titular da 21ª Vara de Trabalho de Curitiba, mas está afastado por licença médica. Na época, ele disse que agiu de maneira correta. “É importante destacar que, quando se vem a uma audiência, não se está indo a um jogo de futebol e nem a um bar da esquina, é um ato solene perante o Poder Judiciário”, apontou.

O advogado do magistrado, Giovanni Reinaldin, entrou com recurso contra a decisão da Justiça Federal por entender que as provas produzidas no processo não foram analisadas devidamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO NOVA FRENTE FRIA CHEGANDO
Nova frente fria promete mais chuva para o final de semana
TURISMO EM MS
Diretor-presidente da Fundtur-MS integra lista dos 100 mais poderosos do Turismo
Foto destaque Visit Bonito: passeio no Barra do Sucuri BONITO - MS - RETOMADA
"Estamos nos reerguendo", guia turístico relata recomeço durante a pandemia em Bonito (MS)
Foto: Ivinotícias FATALIDADE
Homem morre após sofrer descarga elétrica de 34 mil volts em MS
BONITO BONITO - LANÇAMENTO
Lançamento do Programa Bonito é Reciclar, Desafios do Gerenciamento de Resíduos, será nesta sexta
BONITO - MS - PROGRAMAÇÃO
Semana de atividades do Outubro Rosa vão até esta sexta-feira no CMU em Bonito (MS)
BONITO - MS - AGORA É LEI
AGORA É LEI: Ecoturismo é incluído em lista de atividades essenciais
CNH INFRAÇÃO NAS REDES SOCIAIS
Postar infração de trânsito nas redes sociais pode gerar multa de até R$ 30 mil e CNH cassada
Musas do Brasileirão eleitas em 2021. Fotos: Divulgação 25 MUSAS DO BRASILEIRÃO
Eleitas as 25 Musas do Brasileirão, entre 540 candidatas; veja quem são
SAIBA COMO FAZER
Teve prejuízos materiais durante o vendaval? Saiba o que fazer