Menu
ASSOMASUL MAIO 2019
segunda, 27 de maio de 2019
Busca
ÁGUAS DE BONITO
NOVA ELEIÇÕES EM CIDADE DO MS

TRE cassa mandato de prefeita e novas eleições devem ser marcadas em cidade do MS

TRE cassa mandato de prefeita e novas eleições devem ser marcadas em cidade do MS

22 Abr 2019 - 18h58Por BONITO INFORMA / REDAÇÃO

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul realizou nesta segunda-feira (22), o julgamento da cassação do mandato da prefeita de Miranda, Marlene Bossay (MDB), e seu vice, Adailton Rojo Alves (PTB), sob a acusação de compra de votos.

A votação ficou com 07 votos à 0, cassando assim o mandato da prefeita Marlene Bossay, e o município de Miranda terá novas eleições municipais.

O CASO

Marlene teve seu mandato cassado logo após as eleições de 2016 e, desde então, vem recorrendo da sentença. A conclusão do julgamento já fora adiada por seis vezes, sendo que por duas delas foi após pedidos de vista dos desembargadores.

Essa demora no julgamento da cassação tem causado estranheza em algumas lideranças políticas da região, especialmente pelas conversas que circulam na cidade. Os três acusados afirmam que mesmo se condenados não deixarão seus cargos. 

O caso veio à tona ainda nas eleições, quando outro filho da prefeita, então candidata, Alexandre Bossay, foi flagrado e preso em flagrante quando entregava cestas básicas em aldeia indígena. 

Na ocasião, a polícia interceptou vários tickets em postos de combustíveis que eram repassados a eleitores.

O filho da prefeita também é acusado de comprar votos de jovens por meio de depósito bancario.

Essa compra foi comprovada por meio de conversas em aplicativo de mensagens no celular entre o filho da prefeita e o jovem que recebeu o dinheiro. Bossay inclusive enviou foto do comprovante do depósito feito ao rapaz e frisou o nome da mãe e do irmão para serem votados.

Marlene foi condenada em dois processos distintos. Um proposto pelo Ministério Público e outro pela Coligação Unidos por Miranda, envolvendo os partidos PSL, PR, DEM, PRP, PSDB e PV.

No caso da coligação, o advogado Ary Raghiant destacou que a cassação é consequência da captação ilícita de sufrágio, ou seja, a popular compra de votos. “São dois processos sobre o caso do filho de Marlene. O Alexandre ter sido preso entregando cestas básicas na aldeia. Pela gravidade dos fatos, dificilmente, ela ficará no cargo, e deverá ter novas eleições em Miranda”, explicou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - FIB 2019
Festival de Inverno levará espetáculos para assentamentos e distritos de Bonito (MS)
BONITO - MS - NA CÂMARA
Vereador convida população bonitense para a primeira votação do projeto jovem aprendiz nesta segunda
BONITO - MS - VALORIZANDO A ZONA RURAL
Valorizando a zona rural, prefeitura conclui reforma de ponte na fazenda Furna Dourada em Bonito
Bonito
12 produtores vão arcar com reparação de áreas para resolver turbidez de rio de Jardim e Bonito (MS)
CRISE NO BRASIL
Governo de MS só tem garantia de pagar salário em dia até junho
OPORTUNIDADE NO MS
Em MS, Prefeitura abre inscrições para contratação de auxiliares de enfermagem
BONITO - MS - OBRAS
Obras constrói novas sarjetas para escoamento de água das chuvas em Bonito (MS)
CONTRA A LAVA JATO
De MS, Beto, Bia e Vander votaram para tirar Coaf de Sérgio Moro
BONITO - MS - MAIS UM EMPOSSADO
Prefeito dá posse a motorista aprovado no concurso público em Bonito (MS)
BONITO - MS - VETO REJEITADO
Prefeito de Bonito tem a primeira derrota no legislativo em Bonito (MS)