Menu
KAGIVA
sexta, 16 de novembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
NA EQUIPE DO PRESIDENTE

Índia da equipe de Jair Bolsonaro já atuou com Cauã Reymond e foi moradora de rua

Entre as quatro mulheres que integram a equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro, uma chama mais atenção. Trata-se da índia Silvia Nobre Waiãpi, de 42 anos.

8 Nov 2018 - 19h32Por EXTRA

Entre as quatro mulheres que integram a equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro, uma chama mais atenção. Trata-se da índia Silvia Nobre Waiãpi, de 42 anos. Além de ser a primeira indígena a integrar o Exército (ela é segunda tenente), Silvia tem um passado como atriz. Seu último trabalho na televisão foi como Domingas, a empregada da casa do protagonista Cauã Reymond na série “Dois irmãos”, de 2015.

Antes disso, Silvia já tinha trabalhado em “Uga uga”, de 2000, onde ficou famosa como a Índia Crocoká, que tinha dentes pavorosos e protagonizava cenas hilárias correndo atrás de Marcos Pasquim.

 

Silvia Nobre Waiãpi como a índia Crocoká de “Uga uga”Silvia Nobre Waiãpi como a índia Crocoká de “Uga uga”

 

A interpretação, no entanto, não resume nem metade da história de vida de Silvia. Aos 3 anos, ela foi adotada e aos 7, começou a frequentar a escola. “Eu queria estudar. Queria conhecer as letras”, contou ela em entrevista a Jô Soares, em 2012.

Foi nessa época que Silvia conheceu o bullying. De alunos e professores. “Eu só tinha uma camisa com um botão nas costas. Ia com ela para as aulas e achava linda, a minha melhor roupa. Notava que era deixada pelos grupos de alunos porque era pobre”, descreve ela na mesma entrevista: “Lembro que toda semana havia o hasteamento da bandeira e passei anos puxando a saia das professoras para que me deixassem fazer aquilo. Nunca deixaram. Nunca entendi por que me chamavam de legítima brasileira se nem isso eu podia fazer”.

 

Silvia Nobre Waiãpi: a tenente da equipe de Jair Bolsonaro já atuou na TVSilvia Nobre Waiãpi: a tenente da equipe de Jair Bolsonaro já atuou na TV

 

Aos 13 anos, Silvia teve uma filha. Antes disso, quase morreu ao ter o abdômen perfurado por um pedaço de madeira na floresta em que vivia. Aos 14, ela fugiu da aldeia e foi parar no Rio de Janeiro. Ficou dois meses morando na rua e passou fome até vender uma pedra que trazia de sua tribo. “Só tinha aquilo de valor. Uma pedra que peguei no fundo do rio e tomei como um amuleto. Eu acreditava que ela tinha poderes mágicos e a vendi assim. Com o dinheiro consegui comer por duas semanas”, recorda.

Silvia contou a Jô Soares que se foi capaz de vender uma pedra, poderia vender qualquer coisa. Um camelô arrumou um lugar para ela morar, ela saiu vendendo livros e revistas velhos até conseguir emprego no Círculo do Livro. Foi lá que a incentivaram a estudar artes.

 

Silvia Nobre Waiãpi foi a primeira indígena a integrar o exércitoSilvia Nobre Waiãpi foi a primeira indígena a integrar o exército

 

Silvia mantinha um blog no qual escrevia poesias e em sua descrição no Facebook, ela diz: “Eu sou a onça que caça e sangra... Aquela que rola no chão sem medo enquanto a caça se debate!”. Não é figura de linguagem apenas. A índia se tornou atleta depois de quase sofrer um estupro. Foi medalhista de atletismo pelo Vasco da Gama e conseguiu uma bolsa de estudos para cursar a faculdade de Fisioterapia. Depois da graduação prestou concurso para o Exército e finalmente pôde realizar o sonho de hastear uma bandeira. “Acordo todos os dias pensando que vou mudar meu país”, garantiu ela em outra entrevista.

Mãe de três filhos e avó de uma neta, Silvia dá expediente no Hospital do Exército, em Benfica, na Zona Norte do Rio, e até ser convocada por Bolsonaro trabalhava de domingo a domingo fazendo pesquisa na área de reabilitação de lesões medulares.

 

Silvia Nobre Waiãpi e Irandhir Santos em “Dois irmãos”Silvia Nobre Waiãpi e Irandhir Santos em “Dois irmãos”

 

 

Silvia Nobre Waiãpi com elenco de “Dois irmãos”Silvia Nobre Waiãpi com elenco de “Dois irmãos”

 

 

Silvia Nobre Waiãpi fez “Dois irmãos”Silvia Nobre Waiãpi fez “Dois irmãos”

 

 

Silvia Nobre Waiãpi foi moradora de rua no RJSilvia Nobre Waiãpi foi moradora de rua no RJ

Silvia Nobre Waiãpi passou fome no Rio de JaneiroSilvia Nobre Waiãpi passou fome no Rio de Janeiro

 

 

Silvia Nobre Waiãpi: a tenente da equipe de Jair Bolsonaro já atuou na TVSilvia Nobre Waiãpi: a tenente da equipe de Jair Bolsonaro já atuou na TV

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - ACADEMIA AO AR LIVRE
Já licitada, Prefeitura vai instalar duas novas academias ao ar livre em Bonito (MS)
BONITO - MS - NOVO COORDENADOR
Odilson nomeia novo coordenador da Defesa Civil de Bonito (MS)
BONITO - MS - REVITALIZAÇÃO
Prefeitura revitaliza iluminação da Praça da Liberdade e do CMU em Bonito (MS)
FORA DA POLÍTICA
Procurador, Sérgio Harfouche nega candidatura e confirma desfiliação da política
GOVERNADOR DO MS EM BRASÍLIA
Carta de governadores a Bolsonaro tem 4 propostas apresentadas por Reinaldo
BONITO - MS - TRABALHO LEGISLATIVO
Confira o trabalho do seu vereador durante sessão ordinária da Câmara de Bonito (MS)
BONITO - MS - DURANTE SESSÃO
Na Tribuna, Vereador pede novos cursos para a UFMS de Bonito (MS)
BONITO - MS - DINHEIRO NA CONTA
Prefeitura deposita a 1ª parcela do 13º salário aos servidores em Bonito (MS)
ATENÇÃO BONITO (MS)
Secretaria divulga período de matrículas e rematrículas em Bonito (MS)
AÇÕES DO GOVENO DO MS
A pedido de Reinaldo, recuperação da principal ferrovia de MS será prioridade de Bolsonaro