Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sbado, 20 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca
INJUSTIÇAS DA POLÍTICA

Coligação levanta ruins de voto e deixa campeões a ver navios, entre eles Geraldo e Mara Caseiro

Coligação levanta ruins de voto e deixa campeões a ver navios

9 Out 2018 - 20h26Por Amanda Amaral

Seis deputados, entre eles um federal e cinco estaduais, não conseguiram ser eleitos apesar de figurarem entre os mais votados em Mato Grosso do Sul. A conta pode ser complicada e deixa muita gente com sentimento de ‘injustiça’, mas faz parte da corrida eleitoral.

Entre os concorrentes para deputado federal, ficou de fora Geraldo Resende (PSDB), que foi o 5º mais votado, com 61.675 mil votos. Para o cargo, foram oito vagas, mas até o 10º melhor colocado, Dagoberto (PDT) conseguiu entrar pelo cálculo da legenda, mesmo com 21.422 mil votos a menos. O 9º colocado, Alcides Bernal (PP), também não conseguiu eleição.

Não conseguiram ocupar uma das 24 cadeiras na Assembleia Legislativa os candidatos Mara Caseiro (PSDB), 13º lugar, com 23.813 mil votos; Dione Hashioka (PSDB), 16º lugar, com 21.754 mil votos; Enelvo Felini (PSDB), 20º, com 20.721 mil votos; André Salineiro (PSDB), em 22º lugar, teve 18.953 mil votos; Paulo Duarte (MDB), 24º lugar, 17.343 mil votos.

Último a conseguir eleição, João Henrique (PR) teve 11.010  mil votos e ficou em 33ª posição na contagem geral das urnas.

Entenda

Nas casas legislativas, Câmara Federal, Assembleia Legislativa e Câmaras Municipais, as vagas são distribuídas de acordo com a votação recebida por cada partido ou coligação. Ou seja, quando um candidato bem votado não consegue uma vaga no Poder Legislativo, enquanto outro que tenha recebido menos votos é eleito, neste caso ‘vence’ o candidato que esteja no partido que recebeu o maior número de votos.

Como classifica o próprio TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o eleitor vota, na realidade, no partido, o número que vem antes do número do candidato. Para chegar aos nomes dos candidatos eleitos, é preciso determinar o quociente partidário, dividindo-se a votação obtida por cada partido (votos nominais + votos na legenda) pelo quociente eleitoral, que considera as vagas disponíveis na disputa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
APOIO DE ZECA E VANDER
Zeca chama Odilon de charlatão e mentiroso e diz que vai junto com Vander para reeleição de Reinaldo
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em Caarapó, Governo trocou rodovia do 'farelo' por estrada confortável e segura
BONITO - MS - NA SESSÃO
Nixon solicita a Senadora emenda para aquisição de equipamentos para hospital de Bonito (MS)