Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sbado, 18 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Zona de Alta Vigilância deverá ter gado rastreado

29 Mar 2011 - 12h16Por Campo Grande.com

 

Uma semana depois de o Ministério da Agricultura e Pecuária publicar a portaria que reconhece como área livre de aftosa com vacinação a ZAV (Zona de Alta Vigilância) nas regiões de fronteira entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai e a Bolívia, a Iagro (Agência de Defesa Sanitária Animal e Vetegal) publicou baixou hoje série de regras para controle do rebanho bovino na região.

Entre as medidas estabelecidas, está a obrigatoriedade de que o gado de todas as propriedades que se encontram na ZAV, cerca de 800 mil animais, seja rastreado. A identificação será por meio de brincos e bottons, instalados na orelha dos animais.

Conforme a portaria publicada pela Iagro, os objetos serão fornecidos pela agência, mas se houver falta deles, o pecuarista pode ser autorizado a comprar.

A medida estabelece ainda como será a vacinação contra a aftosa na região terá calendário específico e regras diferenciadas, com a possibilidade de vacinação oficial, bancada pela Iagro, vacinação acompanhada e vacinação fiscalizada, feita pelo produtor, mas assistida pela Iagro.

A região foi considerada área livre da doença no dia 4 de fevereiro pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) e faltavam as deliberações nacionais para concretização da mudança.

De acordo com a instrução normativa do Ministério da Agricultura e Pecuária da semana passada, foram definidos 15 postos de fiscalização sanitária fixo em municípios da região da ZAV, que deverão monitorar o trânsito dos animais na região de fronteira.

A Iagro também estabeleceu regras para a entrada e saída de animais. Os bezerros, por exemplo, terão de ser identificados e receber vacina assim que entrarem na região.

Onde fica-A Zona de Alta Vigilância é uma área que compreende 15 quilômetros de largura ao longo de mil quilômetros de fronteira com Bolívia e Paraguai. São 13 municípios que compõem a ZAV: Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Japorã, Ladário, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas. São pelo menos 800 mil cabeças de gado na região.

Com o reconhecimento da ZAV de Mato Grosso do Sul pela OIE como livre de febre aftosa, o Estado passou a ter um status único de classificação e a exportação de carne nas fazendas da região pode voltar ao normal. Em 2001, o Estado já havia alcançado o status de livre de febre aftosa com vacinação, porém com o surgimento de um novo foco da doença na região, em 2005, os organismos internacionais decidiram suspender esse reconhecimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVENO DO MS
Governador afirma que pavimentação asfáltica da MS-223 começa nos próximos dias em Costa Rica
INELEGÍVEL
Procuradoria pede impugnação de candidatura do Zeca do PT
BONITO - MS - INAUGURAÇÃO
HOJE tem inauguração do Santo Rock Bar, caipirinha FREE para mulheres até meia-noite em Bonito (MS)
POLÍTICA
Parecer do TRE-MS dá aval para cassar vereadora Cida Amaral
MEIO AMBIENTE
Em fase final, projeto visa recuperar o Taquari com manejo correto do solo
BONITO - MS - AÇÕES NO ÁGUAS DO MIRANDA
BONITO (MS): Obras realiza serviços de revitalização no distrito Águas do Miranda
BONITO - MS
Almoço beneficente em prol do Instituto Visão de Vida acontecerá neste sábado em Bonito
CASO MAYARA
Acusado de matar a musicista Mayara Amaral diz que estava 'possuído'
ACIDENTE
Mulher é arremessada e morre em capotamento de veículo na BR-359
CIDADES
Mutirão vai analisar 11 mil processos de presos condenados em MS