Menu
KAGIVA
segunda, 20 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Vice dos EUA diz em visita à China que país nunca dará um calote

22 Ago 2011 - 17h48Por France Presse

O vice-presidente americano, Joe Biden, tentou tranquilizar Pequim, o maior credor estrangeiro de Washington, ao declarar que os Estados Unidos "nunca estiveram em moratória e jamais estarão", durante visita à China, marcada pela situação econômica em seu país.

Biden aproveitou, também, o pronunciamento feito para 250 alunos da Universidade de Sichuan em Shengdu (sudoeste) para levantar a questão dos direitos humanos.

Mas o assunto de destaque foi mesmo a economia, ao final de uma visita de cinco dias, durante a qual quis tranquilizar os dirigentes da China sobre as finanças americanas e a solidez dos bônus do Tesouro, nos quais Pequim investiu US$ 1,17 bilhão.

Os Estados Unidos "nunca estiveram em moratória", insistiu o vice-presidente, três semanas depois de um acordo de última hora no Congresso que permitiu evitar um calote catastrófico no pagamento de seus débitos.

Apesar das dificuldades atuais, continuou Biden, "os Estados Unidos são ainda a melhor opção para investir".

Recentemente, a China chegou a expressar grande preocupação com o 'downgrade', a degradação do rating da dívida soberana americana pela agência de classificação Standard and Poor's e a imprensa oficial havia pedido severamente que os Estados Unidos deixassem de viver gastando mais do que ganhavam

Mas os altos dirigentes chineses foram mais conciliadores nos encontros com Biden nesta semana.

"O senhor transmitiu mensagem muito clara à população chinesa: os Estados Unidos cumprirão com sua palavra e obrigações, em matéria de dívida", disse o primeiro-ministro Wen Jiabao, ao receber Biden na sexta-feira. "Isto preservará a segurança, a liquidez e o valor dos bônus do Tesouro".

Biden aproveitou o discurso para os estudantes para tocar na questão dos direitos humanos. A China "deve valorizar os intercâmbios entre os cidadãos, os estudantes e o governo", declarou domingo.

"A liberdade libera o pleno potencial de um povo", acrescentou.

Biden evocou o tema em Pequim com os dirigentes chineses durante a semana passada, segundo fontes americanas, que não quiseram, no entanto, precisar se havia citado algum caso particular.

A China aumentou a repressão à dissidência desde o início da primavera árabe, em fevereiro.

Antes da visita de Biden, Pequim também reforçou o controle aos opositores, pedindo que se mantivessem discretos, segundo as organizações dos direitos humanos.

Biden, que visita China pela primeira vez como vice-presidente, viaja nesta segunda-feira à Mongólia, e depois ao Japão.

Sua visita à China também tem como objetivo permitir aos Estados Unidos iniciar uma relação de confiança com a liderança política chinesa, com destaque para o vice-presidente Xi Jinping, que deverá suceder ao presidente Hu Jintao em 2013.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO DE SER MÉDICA É INTERROMPIDO
Estudante de medicina brasileira é assassinada na fronteira
OPORTUNIDADES
Concursos oferecem mais de 600 vagas com salários de até R$ 11,9 mil no Estado
BELA VISTA
Após deixar bar com a namorada, jovem é morto com tiro na cabeça
7 DICAS IMPORTANTES
Dicas: Sete razões para não andar com o veículo na reserva
DIREITOS HUMANOS
Governo busca vítimas de trabalho escravo da fazenda Brasil Verde
SAÚDE
Dia D contra pólio e sarampo foi nesse sábado; meta é vacinar 11 milhões de crianças até dia 31
CAMPO GRANDE - STOCK LIGTH
Vídeo mostra carro da Stock Ligth atropelando mecânicos e cinegrafista
DOURADOS - ACIDENTE FATAL
Acidente mata motociclista que tentava atravessar rodovia em Dourados
FAMOSIDADE - "SUSPIROS" DOS FÃS
Sem calcinha, Juju Salimeni compartilha foto ousada
MUNDO DOS FAMOSOS - NO AR -
Gusttavo Lima passa perrengue em vôo para Nova Iorque