Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 16 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Transporte urbano é o maior problema para a Copa 2014

13 Jun 2011 - 17h42Por Estadão.com

Cinco das 12 cidades-sede da Copa de 2014 estão com o calendário das obras para transportar torcedores e turistas tão atrasado que nem sequer assinaram contratos de financiamento com a Caixa Econômica Federal (CEF).

Do total de investimentos planejados para as chamadas "obras de mobilidade urbana", só a capital mineira, Belo Horizonte, pode afirmar que começou a tirar os projetos do papel e a usar o dinheiro - mas foram liberados apenas R$ 65,8 milhões.

Segundo dados da CEF, as duas obras iniciadas em Belo Horizonte são a construção de vias exclusivas para ônibus nas avenidas Antonio Carlos e Pedro I e o Boulevard Arrudas-Tereza Cristina.

Documento de acompanhamento das obras da Copa indica que mais da metade (56%) das intervenções previstas na rubrica de mobilidade urbana já sofreu atrasos no seu cronograma, sem contar com o caso de Manaus - claramente o mais problemático segundo esse relatório.

Os investimentos públicos no Mundial de futebol que o Brasil organizará daqui a três anos somam quase R$ 24 bilhões, incluindo estádios, aeroportos e portos. Metade desse valor, R$ 11,8 bilhões, será gasto nas obras de mobilidade urbana.

Conclusão: a apenas sete meses do prazo limite fixado pela presidente Dilma Rousseff para o início de todas as obras - dezembro deste ano -, até agora só foi investida a irrisória porcentagem de 0,5% do dinheiro prometido, o correspondente ao que foi liberado para as obras de Belo Horizonte (R$ 65,8 milhões). O temor é que, no atual ritmo, nem os projetos das obras estejam prontos até o final do ano. O prazo final para a entregas das obras é dezembro de 2013.

Veículos leves. As obras dos corredores de BRT (do inglês Bus Rapid Transit), faixas preferenciais, veículos leves sobre trilhos (VLT) e monotrilhos são as que consumirão a maior fatia do dinheiro público a ser gasto na Copa do Mundo de 2014.

Levantamento feito pelo Estado nas bases de dados da Caixa e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), responsável pelo financiamento do BRT do Rio de Janeiro, mostra que cidades não assinaram contratos de financiamento: Manaus, Recife, Fortaleza, Natal e Brasília.

Além das duas obras de Belo Horizonte, o governo registra o início de mais três obras para transporte de torcedores, mas que ainda não tiveram nenhum financiamento: o BRT do Rio de Janeiro, a Via Mangue, em Recife, e o Corredor Mário Andreazza, em Cuiabá.

Estado crítico. Manaus tem a situação mais complicada no conjunto da Copa. Com 20,2 quilômetros de monotrilho e mais 23 quilômetros de BRT programados, a capital do Amazonas entrou oficialmente em alerta crítico, segundo avaliação que está em um documento coordenado pelo Ministério do Esporte.

A previsão oficial de conclusão do monotrilho entre a região norte e o centro da cidade, ligando a rodoviária, a área dos hotéis e o estádio, é que a obra só deve ficar pronta em abril de 2014.

Além disso, as obras enfrentam restrições do Ministério Público, e tanto a licitação como o financiamento para as obras estão suspensas por recomendação dos procuradores.

O Ministério Público Federal também apontou problemas em projetos e licitações realizados por Brasília, São Paulo e Belo Horizonte.

No caso da capital federal, os procuradores encontraram "vícios insanáveis" na licitação para a construção do VLT, segundo apontam em relatório oficial.

"Inevitável". Para Luiza Gomide, diretora de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, as obras da mobilidade urbana são o maior e mais caro desafio da Copa. "São o grande problema, o problema mais difícil e o que leva a maior fatia dos recursos públicos", avalia.

"Os municípios e Estados estão trabalhando, mas é inevitável que os projetos e as obras sejam mais complexos do que o esperado, por causa das intervenções urbanas", completou Gomide. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRIGA INTERNA EM PLENA CAMPANHA
Conselho de Ética do PDT pede 'cabeça' de Odilon por apoio a Bolsonaro
BONITO - MS - OBRAS E MELHORIAS
BONITO: Agesul e prefeitura concluem revitalização de mais de 70 KM da estrada vicinal da La Lima
ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE
Bolsonaro lidera em 4 regiões; Haddad está na frente no Nordeste, VEJA OS GRÁFICOS
LUTO NA TV
Aos 78 anos, morre o jornalista Gil Gomes
TRAGÉDIA
Menina de 2 anos é atropelada na garagem de casa quando mãe dava ré no carro, em Campo Grande
APOIO À REINADO AZAMBUJA
Deputado do MDB reúne prefeitos, vereadores e lideranças de MS em apoio à Reinaldo Azambuja
BONITO - MS
Conhecimento e muita diversão marcaram o 7° Acampamento do Instituto Mirim Ambiental de Bonito
DESAPARECEU
Servidora pública com depressão desaparece e preocupa família
PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE
IBOPE: Para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
BONITO - MS - RIO MIRANDA
Em Bonito, Rio Miranda volta ao nível normal e Defesa Civil monitora as regiões mais afetadas