Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quarta, 19 de dezembro de 2018
KAGIVA
Busca
UNIPAR_PC

Terra pode ter 8,7 milhões de espécies, segundo novo estudo

25 Ago 2011 - 13h02Por DAVID FOGARTY - REUTERS

Os cientistas ainda precisam descobrir, ou classificar, cerca de 90 por cento das espécies de plantas e animais da Terra, que segundo estimativas abriga quase nove milhões de espécies, diz um estudo.

O trabalho, publicado na revista PLoS Biology nesta quarta-feira, aumenta muito a estimativa da riqueza da vida no planeta. Até agora havia sido oficialmente descrita 1,2 milhão de espécies.

Há muito tempo os cientistas tentam classificar a vida na Terra e descobrir quantas espécies existem, mas as estimativas variavam de três milhões até 100 milhões.

A busca não é um mero capricho científico. Os seres humanos obtêm enormes benefícios da riqueza de vida no planeta, de alimentos a remédios, passando pela pureza do ar e da água. Saber quantas espécies existem e tomar medidas para ampliar a busca e as descrições pode levar a mais descobertas que beneficiem a humanidade.

O recente aumento nos índices de extinção apenas tornou a busca mais urgente, disseram os cientistas.

"Com o relógio da extinção agora batendo mais rápido para muitas espécies, acredito que acelerar o inventário das espécies da Terra merece ser uma prioridade científica e social alta", disse Camilo Mora, da Universidade do Havaí e a Universidade Dalhousie, em Halifax, Canadá, que liderou o estudo.

Alguns estudos da ONU dizem que o mundo está enfrentando as piores perdas desde que os dinossauros desapareceram 65 milhões de anos atrás.

As espécies são classificadas de acordo com um sistema de taxonomia de 250 anos de idade. Ele agrupa a vida em uma pirâmide hierárquica, com espécies na base, então o gênero, família, ordem, classe, filo, reino e domínio.

PADRÕES

Mora e sua equipe estudaram informações taxonômicas e dados de espécies existentes. Eles queriam ver se havia padrões numéricos nos rankings, trabalhando com a suposição de categorias taxonômicas superiores, o que significa que as que estão no topo da pirâmide são mais completamente descritas do que as que estão em sua base.

Eles examinaram grupos bem conhecidos e descobriram que o número relativo de espécies com designação de filo, classe, ordem, família e gênero segue padrões consistentes.

Aplicar esse padrão a grupos bem menos estudados poderia resultar em uma estimativa razoável do número total de espécies.

O resultado foi 6,5 milhões de espécies na terra e 2,2 milhões no mar. O estudo tem uma margem de erro de 1,3 milhão no total.

Os resultados sugerem que 86 por cento das espécies existentes em terra e 91 por cento das que estão no oceano ainda esperam descrição, concluíram os cientistas.

"A diversidade da vida é um dos aspectos mais assombrosos de nosso planeta", disseram os cientistas no estudo. "Portanto descobrir quantas espécies habitam a Terra está entre as questões mais fundamentais da ciência E no entanto a resposta a esta pergunta continua um enigma."

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - NOVA MESA DIRETORA
Câmara elege nova presidente e mesa diretora para 2019-2020 em Bonito (MS)
BONITO - MS - TERERÉS A POSTOS
Preparem o tereré, quarta e quinta terá máxima de 39°C com sensação de 42°C em Bonito
CASO MARIELLE
Caso Marielle: suspeito preso era ocupante do carro dos bandidos que mataram vereadora
TRAGÉDIA FAMILIAR
Criança de 2 anos se pendura em tanque de lavar roupas, cai e morre
OPORTUNIDADES
TCE abre 70 vagas em várias áreas para estagiários em MS
BANDIDAGEM - NÃO SOBRE NEM A IGREJA
Em MS, bandidos arrombam porta de Igreja e fogem com dinheiro das doações
FATALIDADE
Operador de máquina de 56 anos morre após acidente grave na Cohab
JARDIM - MS - OPERAÇÃO DA PRF E CIVIL
Grupo de Operações com Cães da PRF e Polícia Civil fazem 'arrastão' durante Operação em Jardim
GOVERNO DO ESTADO DO MS
Governo paga nesta terça-feira R$ 500 milhões em 13º para servidores
DEUS SALVOU BEBÊ E FAMÍLIA
Em MS, Carro capota e duas pessoas ficam feridas na BR-262; cadeirinha salva bebê