Menu
KAGIVA
domingo, 18 de novembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Técnica repele mosquito da dengue

2 Jun 2011 - 07h55Por G1

Uma nova técnica pode ajudar a produzir repelentes e fornecer mais uma arma na luta contra doenças como a dengue e a malária. A pesquisa foi desenvolvida pela Universidade da Califórnia, Riverside, nos EUA e seus resultados foram publicados pela revista científica “Nature”.

Os mosquitos que se alimentam de sangue humano localizam suas presas – ou seja, nos encontram – pelo olfato. Eles são atraídos pelo gás carbônico (CO2) que exalamos. Sabendo disso, a equipe chefiada por Anandasankar Ray buscou desenvolver produtos químicos que afastassem os mosquitos interferindo em sua percepção sensorial.

Órgãos olfatórios dos mosquitos interagem com o CO2 (Foto: Stephanie Turner / Divulgação)Órgãos olfatórios dos mosquitos interagem com o CO2 (Montagem: Stephanie Turner / Divulgação)

Os cientistas chegaram a três tipos diferentes de odorantes. Um deles não permite que o mosquito sinta o CO2. Outra substância imita a substância e, com isso, consegue atrair os mosquitos para um local desejado. Um terceiro tipo interage com os neurônios do inseto e prolongam a duração da percepção que ele tem do CO2, o que o desorienta.

A pesquisa teve como alvo três espécies de mosquito que transmitem doenças graves: oAedes aegypti, vetor da dengue; o Culex quinquefasciatus, que tem como doença mais grave ligada a ele no Brasil a filariose linfática; e o Anopheles gambiae, que espalha a malária, sobretudo na África.

“A ideia é criar um produto que seja barato e prático para ser utilizado”, disse ao G1 o pesquisador Anandasankar Ray. Ele reconhece que um dos produtos cheira mal e que outro pode ser levemente tóxico aos humanos, mas ressalta que isso pode ser alvo de futuras pesquisas. Ray, que ainda não dedicou tempo para avaliar os aspectos práticos da descoberta, disse que quis publicar os resultados rapidamente para que outros cientistas tivessem acesso às informações e pudessem avançar na linha de pesquisa.

O entomologista Ademir Martins, que é pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e tem experiência no combate aos vetores, faz ressalvas. “É uma alternativa, mas é uma medida paliativa. A principal medida ainda é a eliminação dos criadouros, e não o uso de repelentes”, alertou o especialista brasileiro. “Todo avanço é bem-vindo, desde que não seja prejudicial à saúde e barato”, completou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - FESTIVAL DA GUAVIRA
Prefeitura vai licitar a realização do 15º Festival da Guavira em Bonito (MS)
BONITO - MS - NA TRIBUNA
Lúcia Miranda quer demarcação oficial da Avenida Matheus Muller em Bonito (MS)
ALCOOLISMO
Em MS, jovem de 21 anos passa horas consumindo bebida alcoólica e morre
BONITO - MS - ACADEMIA AO AR LIVRE
Já licitada, Prefeitura vai instalar duas novas academias ao ar livre em Bonito (MS)
CAMPO GRANDE - MUITA CHUVA
Chuva forte deixa trechos alagados e trânsito tumultuado em Campo Grande
BONITO - MS - NOVO COORDENADOR
Odilson nomeia novo coordenador da Defesa Civil de Bonito (MS)
BONITO - MS - REINAUGURAÇÃO
OKA Pisos e Acabamentos reinaugura hoje às 19h, OKA de cara nova em BONITO (MS)
BONITO - MS - REVITALIZAÇÃO
Prefeitura revitaliza iluminação da Praça da Liberdade e do CMU em Bonito (MS)
A FAZENDA 10
A Fazenda 10: Rafael Ilha chora ajoelhado na frente das vacas, entenda o que aconteceu
FORA DA POLÍTICA
Procurador, Sérgio Harfouche nega candidatura e confirma desfiliação da política