Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sexta, 19 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

TCU investiga uso irregular de dinheiro público na Expogrande 2010

3 Ago 2011 - 07h31Por Campo Grande News

Atendendo solicitação do Ministério Público Federal, o Tribunal de Contas da União está investigando as contas da Expogrande 2010. Segundo a denúncia, a verba de R$ 1.010.000,00 recebida por meio de convênio com o Ministério do Turismo, seria para o pagamento dos shows musicais durante o evento. No entanto, o show teria sido realizado por uma empresa privada, e não foi revelado o valor arrecadado com a venda dos ingressos, nem apresentado notas fiscais comprovando o pagamento dos cachês dos cantores.

“À vista da ausência de todas estas informações e documentos na prestação de contas do convênio em exame, conclui-se que a prestação de contas foi apenas parcial, não sendo possível realizar juízo de valor sobre a gestão dos recursos repassados”, concluiu a auditora fiscal do Tribunal de Contas da União Maria José Pedroli.

Antes da Exposição, o procurador Ramiro Rochenbach da Silva Matos Teixeira de Almeida tentou impedir o repasse dos recursos federais, mas não conseguiu. A investigação do MPF teve início após representação feita por universitários da Faculdade Estácio de Sá, que questionaram o uso de dinheiro público na exposição. Mesmo com o convênio firmado com o Ministério do Turismo, a Expogrande 2010 cobrou normalmente ingressos do público.

Ao analisar os fatos, o MPF considerou abusiva a cobrança em razão do aporte de recursos públicos no valor de mais de R$ 1 milhão. O procurador considerou ilegal o evento cultural ser tratado com empreendimento privado, pois o pagamento dos artistas foi custeado com recursos públicos. O pedido de liminar foi indeferido pela Justiça Federal, mesmo assim, o juiz federal registrou que as “suspeitas de superfaturamento do orçamento devem merecer a atenção da Justiça”.

Ao investigar o caso, a auditora Maria José Petroli verificou que além das contas do Ministério do Turismo, a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), responsável pela organização do evento, não prestou contas do valor recebido com a Expogrande de 2010 envolvendo vários outros parceiros. “A Expogrande 2010 contou com 1.500 expositores e 250 estandes de alimentação, que obviamente pagaram algum preço pela ocupação do espaço. Também esses valores não constaram na prestação de contas”, alertou.

A auditoria também constatou a ausência da prestação de contas das receitas com a exposição de animais. Pelos cálculos do Tribunal de Contas da União, a Acrissul pode ter lucrado R$ 168 mil com este negócio, envolvendo a venda de “argolas” para animais que iriam a julgamento ou para aqueles que ficariam somente em exposição.

A investigação apurou que nos relatórios de vistorias efetuados por técnicos do Ministério do Turismo não consta qualquer menção ao número de pessoas pagantes durante a Expogrande 2010, bem como a prestação de contas com a venda de ingressos de camarotes para os shows, que chegaram a ser vendidos a R$ 60 nas sextas-feiras e sábados. Todas estas informações deveriam constar na prestação de contas.

Maria José Pedroli em seu relatório lembra que, de acordo com o plano de convênio estabelecido entre a Acrissul e o Ministério do Turismo, cada show tinha seu preço total divido em dois, sendo uma parte custeada com recursos federais e outra parte a ser paga “com outra fonte de recursos”. O valor máximo por show custeado pelo Ministério de Turismo seria R$ 80 mil. Porém, na prestação de contas, não consta a origem dos recursos pela qual se efetuou a diferença, nem houve apresentação da respectiva nota fiscal.

Diante de todas estas constatações, o Tribunal de Contas da União decidiu averiguar com mais profundidade os fatos e possíveis falhas e irregularidades ocorrida na gestão dos recursos federais repassados pelo Ministério do Turismo. Foi solicitado aos diversos órgãos e instituições que apoiaram ou adquiram cotas para apresentarem os documentos relativos aos valores pagos para utilização de estandes, bem como quem foi o respectivo beneficiário do pagamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%