Menu
mutantes
sexta, 19 de abril de 2019
ASSOMASUL MARÇO
Busca
ÁGUAS DE BONITO

STF reafirma direitos dos inativos á gratificação de desempenho

19 Jul 2011 - 15h43Por Dourados News/Assessoria de Imprensa do STF.

Ao analisar processo com status de Repercussão Geral, o Supremo Tribunal Federal reafirmou a jurisprudência da Corte no sentido de que servidores inativos têm direito a receber percentual de gratificação de desempenho de natureza genérica. O caso foi julgado em Recurso Extraordinário.

Para o presidente da Corte, ministro Cezar Peluso, “a questão (em debate) transcende os limites subjetivos da causa, tendo em vista que se discute o direito de paridade (entre servidores ativos e inativos) previsto no artigo 40, parágrafo 8º, da Constituição Federal”.

Peluso destacou que, embora a paridade tenha sido excluída da Constituição pela Emenda Constitucional 41/03 (Reforma da Previdência), ela ainda continua em vigor para servidores que se aposentaram ou preencheram os requisitos para tal antes de a emenda entrar em vigor ou ainda para aqueles que se aposentaram segundo regras de transição. “Trata-se de matéria de relevante cunho jurídico, de modo que sua decisão produzirá inevitável repercussão de ordem geral”, reiterou o ministro. No Plenário Virtual, os ministros do Supremo reconheceram a existência de Repercussão Geral da questão constitucional suscitada.

De autoria da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), o recurso foi proposto contra acórdão da 1ª Turma Recursal da Justiça Federal do Ceará que autorizou o pagamento, a servidores inativos da entidade, de 80% da Gratificação de Desempenho da Carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho.

No mérito, o presidente do STF ressaltou que a Corte tem jurisprudência específica no sentido de que, em razão do caráter genérico da GDPST, a ela deve ser aplicado o mesmo entendimento consolidado quanto a outros dois tipos de gratificação, a GDATA (Gratificação de Desempenho de Atividade Técnico-Administrativa) e a GDASST (Gratificação de Desempenho da Atividade da Seguridade Social e do Trabalho). Nesse sentido, citou os REs 476279 e 476390. Por maioria de votos, os ministros negaram provimento ao recurso, reafirmando a jurisprudência dominante sobre a matéria, vencidos os ministros Ayres Britto e Marco Aurélio.

A Funasa alegou que a gratificação é uma vantagem pro labore faciendo, ou seja, cujo pagamento somente se justifica enquanto o servidor se encontrar no efetivo exercício da atividade remunerada pela gratificação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Procurado por homicídio em MS morre em confronto com a polícia no Paraná
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Governador Reinaldo Azambuja levou acesso à saúde para dentro das aldeias de MS
CASO MAJOR MORTO EM BONITO
Em audiência, Justiça mantém prisão de pintor que matou major a facadas em Bonito (MS)
COMPORTAMENTO
Em 1981, quebra-quebra em show marcou vinda do cantor ao interior de MS
MEIO AMBIENTE
Assembleia cria frente parlamentar sobre problemas dos rios da região de Bonito
TEMPO E TEMPERATURA
Previsão do tempo neste feriadão está favorável para o ecoturismo no Estado
VACINAÇÃO
Status de área livre de aftosa sem vacinação é oportunidade estratégica para MS
GERAL
Polícia Militar Rodoviária lança Operação Semana Santa 2019
TURISMO
Vai viajar no feriado e curtir o MS? Veja a previsão do tempo para municípios turísticos do Estado
BONITO - MS - FERIADÃO
Bonito (MS) tem 100% dos passeio operando plenamente nesse feriado de Páscoa