Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 16 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Setor industrial já gerou 11,4 mil novas vagas em Mato Grosso do Sul

6 Set 2011 - 09h03Por Correio do Estado

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, já gerou 11.454 novos postos de trabalho nos primeiros sete meses deste ano, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. Os destaques são para os segmentos da indústria de transformação, com 5.872 vagas, e da construção civil, com 4.863 vagas.

Ainda conforme o levantamento do Radar da Fiems, a indústria mantém a maior participação sobre o saldo total de empregos formais criados em Mato Grosso do Sul, respondendo por 39,2%, enquanto os outros setores de serviços e agropecuária representam 33,7% (9.849 vagas) e 16% (4.685 postos de trabalho), respectivamente. Com saldo de 464 empregos formais criados no mês de julho, a indústria alcançou um estoque total de 125.181 postos formais de trabalho no Estado, mantendo a parcela de 21% de todo o emprego formal existente atualmente, atrás somente de serviços (26%) e da administração pública (23%), com um total de 153,9 mil e 133,9 mil empregos formais, respectivamente.

Até o momento, com o desempenho ocorrido ao longo de 2011, o setor industrial em Mato Grosso do Sul acumula sucessivos recordes no estoque total de empregos formais. Dessa forma, Mato Grosso do Sul, com o saldo acumulado até julho de 2011, obteve a marca de 590 mil postos formais de trabalho, indicando uma elevação equivalente a 6,94% sobre o estoque total verificado ao fim de 2010, aponta análise feita pelo Radar Industrial da Fiems.

Índice de Evolução do Emprego

Já com relação ao Índice de Evolução do Emprego Formal na Indústria, a posição verificada em julho foi de 183,4 pontos, indicando um crescimento de 83% sobre o estoque do ano base 2005, quando o setor tinha 68.269 trabalhadores. Na mesma comparação, o setor de serviços apresentou um índice de 154,3 pontos e crescimento de 54%, o comércio com 138,3 pontos (+38%), a agropecuária com 120,9 pontos (+21%) e administração pública com 115,2 pontos (+15%), enquanto no caso do emprego formal total em Mato Grosso do Sul o índice de evolução alcançou a marca 140,7 pontos (+41%).

Segundo avaliação do Radar da Fiems, constata-se, deste modo, que no período compreendido entre 2005 e 2011, até o mês de julho, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 30% maior que aquele apresentado pelo conjunto da economia estadual. Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foi maior em 19%, 33%, 52% e 59%, respectivamente.

Por fim, na comparação com o mês imediatamente anterior, os índices de evolução do emprego formal no comércio, serviços, indústria e agropecuária apresentaram desempenhos equivalentes a 0,8%, 0,7%, 0,5% e -0,5%, respectivamente. Já a administração pública, na mesma comparação, não apresentou alteração em seu índice.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - OBRAS E MELHORIAS
BONITO: Agesul e prefeitura concluem revitalização de mais de 70 KM da estrada vicinal da La Lima
ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE
Bolsonaro lidera em 4 regiões; Haddad está na frente no Nordeste, VEJA OS GRÁFICOS
LUTO NA TV
Aos 78 anos, morre o jornalista Gil Gomes
TRAGÉDIA
Menina de 2 anos é atropelada na garagem de casa quando mãe dava ré no carro, em Campo Grande
APOIO À REINADO AZAMBUJA
Deputado do MDB reúne prefeitos, vereadores e lideranças de MS em apoio à Reinaldo Azambuja
BONITO - MS
Conhecimento e muita diversão marcaram o 7° Acampamento do Instituto Mirim Ambiental de Bonito
DESAPARECEU
Servidora pública com depressão desaparece e preocupa família
PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE
IBOPE: Para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
BONITO - MS - RIO MIRANDA
Em Bonito, Rio Miranda volta ao nível normal e Defesa Civil monitora as regiões mais afetadas
MUNDO DA TV
Com paralisia, Liminha segue internado e sem previsão de alta