Menu
KAGIVA
tera, 13 de novembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Servidores se mobilizam contra indicação política no Incra de MS

16 Mar 2011 - 14h37Por MS Notícias

Os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) estão se mobilizando contra a indicação política para o cargo de superintendente da instituição no Estado. Para eles, a atual situação da superintendência regional do Mato Grosso do Sul, com intervenções da Justiça Federal, provocadas pelo Ministério Público Federal, em decorrência da operação Tellus, é reflexo direto da atuação dos administradores indicados por políticos, que tocaram a reforma agrária no Estado conforme conveniências políticas partidárias.

Os servidores querem que a escolha do próximo superintendente se dê conforme a Portaria Incra/P/n.º 99/2000 que estabelece critérios básicos, entre os quais, que o cargo seja ocupado preferencialmente por servidor da casa, com ilibada reputação e comprovada experiência técnica e administrativa, mínima de dois anos, em atividades compatíveis com a natureza do cargo, além disso, que tenha trânsito e credibilidade entre o público afim, como movimentos sociais, assentados e acampados.

Além de implantar projetos de assentamento, o Incra é responsável por outras atividades importantes, como o levantamento da malha fundiária do Estado e aplicação de créditos, envolvendo um orçamento anual de mais de R$ 100 milhões.

Segundo Vera Pena, presidente da Associação dos Servidores do Incra (Assincra-MS), o quadro de funcionários do Incra está muito aquém da necessidade para o atendimento da demanda. Dos 212 servidores no Estado, 28 estão afastados por licença remunerada (doutorado, cedidos a outros órgãos e afastados por decisão judicial). São 178 assentamentos existentes no Estado, que abrigam quase 30 mil famílias.

“O Incra precisa realizar concurso urgente para suprir as vagas existentes e que vão surgir com a previsão de aposentadoria de mais 40% da força de trabalho ora em exercício”, disse Vera.

“Em todo o Brasil existem 30 superintendências e o sentimento dos trabalhadores da casa é o mesmo. Basta de ingerência política. Queremos uma reforma agrária eficiente, onde as famílias possam morar e produzir com conforto e segurança. Isso só será possível com uma administração técnica”, concluiu a presidente da Assincra.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVENO DO MS
A pedido de Reinaldo, recuperação da principal ferrovia de MS será prioridade de Bolsonaro
CIDADES
Operação contra tráfico de drogas em escolas prende cinco em MS
GERAL
Detran-MS retoma atendimento ao público através do Call Center
EDUCAÇÃO
Abertas as inscrições para o Curso Normal Médio Intercultural Indígena Povos do Pantanal
BONITO - MS - PONTO FACULTATIVO
Prefeitura terá ponto facultativo nesta sexta-feira (16) em Bonito (MS)
CIDADES
Após 10 anos, mulher ganha direito de ter sobrenome de 2 mães já falecidas
ALERTA
Imunização contra febre amarela deve ser feita de forma antecipada
OPERAÇÕES DA PF NO ESTADO
De quarta a domingo, PRF reforça fiscalização nas rodovias do Estado
EDUCAÇÃO
MS terá Centro Nacional de Mídias para implantação do Novo Ensino Médio
CIDADES
Vencedores do XIII Prêmio de Gestão Pública serão conhecidos no dia 19