Menu
KAGIVA
domingo, 16 de dezembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
UNIPAR_PC

Segredo da longevidade parece estar nos genes, mostra estudo

4 Ago 2011 - 08h03Por Folha.com

Um estudo divulgado nesta quarta-feira nos Estados Unidos sugere que o segredo da longevidade parece estar na genética, e não no estilo de vida.

Um relatório publicado na edição on-line da Sociedade Americana de Geriatria indica que um grupo de judeus askenazis que viveram 95 anos ou mais não tinham hábitos e estilo de vida melhores que os da população em geral. Na realidade, os homens do grupo de longevos bebiam em média um pouco mais e faziam menos exercícios que seus homólogos.

"Este estudo sugere que os centenários podem possuir genes adicionais de longevidade que os ajudam a amortizar os efeitos nocivos de um estilo de vida pouco saudável", disse o autor principal do estudo, Nir Barzilai, diretor do Instituto de Pesquisa do Envelhecimento da Escola de Medicina Albert Einstein, da Universidade Yeshiva de Nova York.

Participaram do estudo 477 judeus askenazis de 95 a 122 anos, que viviam de forma independente. Deles, 75% eram mulheres. Todos se inscreveram em um estudo que busca descobrir os segredos da longevidade.

Os judeus askenazis, oriundos da Europa central e oriental, foram eleitos porque são "geneticamente mais uniformes do que outras populações, razão pela qual é mais fácil detectar as diferenças genéticas presentes", indicou o estudo.

Em geral, estes idosos eram similares a pessoas da população geral em termos de relação altura-peso, tabagismo, nível de exercício e dieta.

Os dados dos indivíduos de comparação foram os de 3.164 pessoas nascidas no mesmo período que os centenários, recolhidos entre 1971 e 1975 ao participar da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição.

Cerca de 24% dos homens longevos bebiam álcool todos os dias, em comparação com 22% da população geral, enquanto 43% dos longevos faziam exercícios regularmente contra 57% da população geral.

As pessoas de ambos os grupos eram igualmente propensas a ter sobrepeso, mas os longevos tinham menos chances de alcançar níveis mais altos de obesidade.

Os cientistas pediram, entretanto, que as pessoas não confiem na genética e cuidem da saúde, mantendo um bom estilo de vida.

"Embora este estudo demonstre que os centenários podem ser obesos, fumar e evitar os exercícios, estes hábitos de vida não são boas opções para a maioria de nós que não temos antecedentes familiares de longevidade", disse Barzilai.

"Devemos vigiar nosso peso, evitar fumar e fazer exercícios, já que estas atividades provaram trazer grandes benefícios sanitários para a população em geral, incluindo uma vida útil mais longa".

Deixe seu Comentário

Leia Também

MUNDO DA MÚSICA
Jorge e Mateus vivem clima tenso e se evitam nos bastidores dos shows
PREVISÕES PARA 2019
Vidente faz previsões chocantes sobre casal “Brumar” e Simone e Simaria
BONITO - MS - MEDIDAS TOMADAS
Governo de MS adota medidas de contenção de erosão para preservar os rios de Bonito
BONITO - MS - HOMENAGEADO
Gruta do Lago Azul era para dar tiro e fazer churrasco, conta guia pioneiro de Bonito (MS)
GOVERNO DO MS - CONQUISTA
Com 86% das metas cumpridas, Reinaldo se reúne com eleitos e traça projetos para 2019
BONITO - MS - RÉVEILLON 2019 -
Prefeitura divulga regulamento sobre as festividades do Réveillon 2019 em Bonito (MS)
CORPO ENCONTRADO EM RIO DE MS
Bombeiros localizam o corpo do homem que sumiu na pescaria em MS
BONITO - MS - NOVA DIRETORIA DA OAB
Nova diretoria da 23ª subseção da OAB de Bonito toma posse
RIO DA PRATA DE VOLTA
'Clareza' do Rio da Prata aparece e semana é marcada por audiência e clamor popular em Bonito (MS)
DUAS MORTES POR RAIOS NO MS
Tempestade surpreende e dois morrem atingidos por raios em MS