Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 23 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Se Brad Pitt viesse á Bonito não encontraria nenhum hotel 5 estrelas, diz jornal

11 Jul 2011 - 10h15Por Correio do Estado - Carlos Henrique Braga

A rede hoteleira de Mato Grosso do Sul tem de aprender algumas lições para receber bem os visitantes da Copa do Mundo de 2014 que esticarem a estadia pelo País. Eles devem gastar R$ 3,9 bilhões pelo Brasil, estima o Banco Central. Uma das lições urgentes é aprender a falar a mesma língua dos turistas estrangeiros.

Apenas 39% dos hoteis cadastrados no site do Ministério do Turismo, o Cadastur, oferecem atendimento em inglês. Em espanhol, são 35%, apesar da proximidade com os hispânicos da fronteira e os 60,5 mil bolivianos e paraguaios que passaram por MS em 2010.

Pode ser ainda pior. O cadastro na internet não é fiel ao que os hoteis disponibilizam, pelo menos quanto aos idiomas, segundo teste do Correio do Estado que identificou propaganda diferente da realidade em quatro hoteis de Três Lagoas e Bonito.

O Estado recebeu 68,1 mil visitantes no ano passado. Mesmo que 60,5 mil sejam vizinhos do Paraguai ou Bolívia, cresceu a presença de turistas de outros pontos do globo. Da América do Norte, vieram 317, mais de quatro vezes mais que em 2009, que registrou apenas 75 gringos. O fluxo do Peru aumentou 21%, de 3,4 mil pessoas para 4,1 mil.

A principal cidade turística sul-mato-grossense 13,6 mil estrangeiros no ano passado, 8% dos 170 mil visitantes totais, segundo o secretário de Turismo, Augusto Barbosa Mariano. Mas se o ator norte-americano Brad Pitt fosse à cidade, como especula o boato que corre há alguns anos sobre seus planos de férias, não encontraria um hotel padrão cinco estrelas na rede de 80 meios de hospedagem. Nenhum. Nem mesmo o único resort do Estado, que fica na cidade.

Bonito, que não deve ser alvo de grandes investimentos na rede hoteleira, espera aumentar em 20% o número de turistas neste ano, para cerca de 200 mil. Até maio, foram registradas 125,1 mil visitas às atrações de Bonito, crescimento de 22,63% na comparação com o mesmo período de 2010, informa o secretário de Turismo.

No resto do Estado, a rede precisa de investimentos para crescer e profissionalizar-se. Em Campo Grande, onde o número de leitos é considerado insuficiente pelas agências de viagens, é comum hospedar pessoas em moteis, em períodos de superlotação.

O "jeitinho" é constrangedor, avalia o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav-MS), Ney Gonçalves. "É a nossa imagem que está em jogo", diz. "Nós avisamos antes o que eles vão encontrar, para evitar más surpresas", conta Gonçalves.

Embora haja planos de novos hoteis, só o Grand Park saiu do papel, em fevereiro. A estrutura do Binder, na Avenida Afonso Pena desde os anos 90, passa por reforma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

A FAZENDA 10 - CLIMA QUENTE
A Fazenda 10: Nadja e Gabi trocam farpas, modelo se revolta quebra prato e confusão toma conta
RETA FINAL - NOVELA GLOBAL
Segundo Sol: Karola pode morrer no final de Segundo Sol; saiba mais
BONITO - MS - BEACH TENNIS
Bonitenses fazem bonito e campeões são definidos na 4ª etapa do estadual de Beach Tennis
TELEFONIA
STF julga inconstitucional lei de MS que proíbe tempo para uso de crédito de celular
POLÍTICA
Deputados analisam veto sobre recorrer de multa pela internet
SAÚDE
Serviço de vacinação é oferecido pela primeira vez em farmácias
EMPREGOS
Em MS, mulheres ganham em média 8% a menos do que os homens
ESPORTES
Atletas de MS voltam com 22 medalhas do Brasileiro de Karatê em BH
EM MATO GROSSO DO SUL
Transporte de pessoas no MS exige novas validações
GERAL
Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio de R$ 18 milhões