Menu
mutantes
segunda, 18 de fevereiro de 2019
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
Busca
ITALÍNEA DOURADOS
MS - Índios

Relatório não confirma morte de cacique em ataque, diz Polícia Federal

Filho de Cacique pode ser indiciado por mentira

22 Dez 2011 - 10h38Por G 1

 Polícia Federal (PF) apresentou nesta quarta-feira (21) relatório da investigação sobre o ataque a um acampamento indígena da etnia guarany-kaiwá em Mato Grosso do Sul ocorrido em 18 de novembro. De acordo com a PF, laudos da perícia e investigação apontam que o cacique Nísio Gomes, desaparecido desde o ataque, pode estar vivo.

O G1 entrou em contato com o coordenador do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), em Mato Grosso do Sul, Flávio Machado. Ele diz estar surpreso com o relatório apresentado pela Polícia Federal sobre o caso. Machado afirma que confia no depoimento dos indígenas e na hipótese da morte do cacique.

O coordenador regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) Sílvio Raimundo da Silva disse que viajará a Ponta Porã na manhã de quinta-feira (22) para acompanhar de perto a investigação. Ele disse que vai se posicionar sobre o relatório apresentado pela PF somente amanhã.

Em entrevista ao G1, o superintendente em exercício da Polícia Federal Rodrigo Andrade Oliveira explicou alguns fatores que contribuíram para a suspeita da polícia. Segundo ele, foi realizado no dia 14 de dezembro, em Brasília, o saque de um benefício social que o cacique recebe. “Esse saque só poderia ser feito por ele ou por alguém que tivesse a senha”.

A Polícia Federal teve acesso ao vídeo da câmera de segurança do estabelecimento comercial onde o dinheiro foi retirado. Segundo Oliveira, as imagens não estavam nítidas e a pessoa que fez o saque não foi identificada. A transação é investigada pela PF.

Ainda de acordo com o Oliveira, outros fatores que contribuíram para a suspeita da PF foram o sangue encontrado nas cápsulas das balas de borracha, que segundo a perícia pertencem a Gomes, além de contradições no depoimento do filho do cacique, que era a principal testemunha do ataque.

Por enquanto, de acordo com o superintendente em exercício, o foco das investigações continua sendo o paradeiro do indígena.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Combate a hanseníase: Carreta da Saúde segue por MS e estaciona em Jardim
GERAL
Em MS, 54 mil trabalhadores nascidos em março e abril podem sacar o PIS a partir de quinta-feira
POLÍCIA
PM cumpre dois mandados de prisão e recaptura um evadido do Sistema Prisional em Guia Lopes
POLÍCIA
Polícia Militar apreende 35 pacotes de cigarros contrabandeados em Nioaque
BONITO - MS - SAÚDE
Projeto Roda-Hans/Carreta da Saúde atende amanhã em Bonito
GERAL
Municípios interessados em sediar eventos da Fundesporte devem apresentar propostas até 1º de março
DEFESA SANITÁRIA
Em MS, médicos veterinários cadastrados para coleta de mormo recebem capacitação
ESPORTES
FCMS e Fundesporte abrem inscrições para o primeiro curso de Arbitragem em Canoagem do MS
CULTURA
Músicos lamentam a morte de Dino Rocha, o Rei do Chamamé
CASO DE POLÍCIA NO MS
Em MS, adolescente de 16 anos se tranca em quarto e mata filha de 21 dias sufocada