Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 21 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Relator do Código Florestal vai rever áreas preservadas em margens de rios

25 Abr 2011 - 12h18Por Agência Câmara de Notícias

O relator do projeto de reforma do Código Florestal (PL 1876/99 e outros), deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), disse na semana passada que vai modificar seu texto para tornar mais claro que os agricultores não poderão reduzir as áreas de preservação permanentes (APPs) de 30 metros ao longo dos rios. Ele afirmou que essas áreas só poderão ser reduzidas para 15 metros quando o agricultor já houver desmatado e que, mesmo assim, precisará fazer a recomposição.

Aldo fez o anúncio após reunião com o presidente da Frente Parlamentar Ambientalista e líder do PV, deputado Sarney Filho (MA), que sugeriu diversas mudanças no projeto do código.

Em caso de recomposição das APPs, Sarney Filho defendeu uma área 15 metros para todos os agricultores, enquanto Aldo definiu 15 metros para as grandes propriedades e 7,5 metros para as pequenas, de até 5 hectares.

Aldo afirmou que a recomposição de 15 metros seria inviável no caso da Região Nordeste, pois os pequenos agricultores já usam quase toda a terra de suas propriedades. Segundo Aldo, mais de 50% das propriedades no Nordeste têm até 5 hectares e reúnem apenas 0,6% de APPs e reserva legal.

Aldo também disse ser a favor de que as propriedades de até 5 hectares não tenham exigência de reserva legal, pois os pequenos agricultores já têm de preservar áreas ao redor de rios e morros.

Incentivo à preservação

Durante a reunião, Sarney Filho sugeriu que os agricultores que até hoje cumpriram a legislação ambiental sejam beneficiados com medidas como crédito mais barato e isenção do Imposto Territorial Rural (ITR). Aldo disse que vai analisar a proposta.

Sarney Filho disse que é preciso decidir se o País quer um código florestal ou agrícola. Ele defendeu a manutenção de 80% de reserva da Amazônia e disse que a preservação da floresta pode render, no futuro, benefícios econômicos decorrentes da cobrança de serviços ambientais e da pesquisa de fármacos.

Data de votação

Sarney Filho afirmou que o projeto do novo Código Florestal traz riscos de mais desmatamentos e, por isso, ainda não deveria ser colocado em votação. O presidente da Câmara, Marco Maia, anunciou ontem que o projeto será incluído na pauta do Plenário nos dias 3 e 4 de maio. O substitutivo de Aldo Rebelo foi aprovado no ano passado por uma comissão especial da Câmara.

O líder do PV lembrou também que a presidente Dilma Rousseff assumiu o compromisso, no segundo turno de campanha, de não adotar nenhuma medida que promova desmatamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - SINALIZAÇÃO
Prefeitura contrata empresa para instalação de semáforos em Bonito (MS)
BONITENSE - MMA - CINTURÃO
Bonitense Sidy Rocha luta pelo cinturão neste sábado no Rio de Janeiro
CASO DE POLÍCIA
Caminhão carregado com 3 toneladas de maconha tomba em rodovia de MS
BONITO INFORMA RUAL
Leite desnatado longa vida tem alta de 12,13% com a entressafra em MS
BONITO - MS
Prefeitura reforma ponte sobre o Córrego Bonito, junto ao BNH
FATALIDADE - ADOLESCENTE MORTO
Adolescente de 13 anos morre após ser atingido por tampa de caçamba de caminhão
AGENDA DOS CANDIDATOS AO GOVERNO DO MS
Lançamentos de comitês e caminhadas marcam terça-feira de campanha no MS
POLÍTICA
Justiça Eleitoral de MS cria ferramenta na internet para receber denúncias
SAÚDE EM FOCO
Colangite biliar primária, a doença do fígado que causa coceira e fadiga
ESPORTES
Copa Pantanal de vôlei define campeões do máster feminino e masculino nesta 4ª