Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
quinta, 21 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Produtos da Perdigão e da Batavo sairão das prateleiras por até cinco anos

14 Jul 2011 - 08h16Por Agência Brasil

O acordo firmado ontem (13) entre a Brasil Foods (BrFoods) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para aprovar a fusão dos frigoríficos Perdigão e Sadia terá reflexos para o consumidor acostumado às marcas Perdigão e Batavo. O Cade determinou a retirada do mercado de produtos das duas marcas por até cinco anos.

Por três anos, a BrFoods (holding resultante da fusão) não poderá vender presunto, apresuntado e afiambrado; cortes suínos de festa (lombo, pernil, tender); linguiça e paio. O prazo de suspensão aumenta para quatro anos no caso de salames e para cinco anos para a venda de lasanhas, pizzas congeladas, quibes, almôndegas e frios saudáveis. “O volume sujeito às restrições do TCD [termo de compromisso de desempenho, firmado hoje] representaria em 2010 cerca de um terço das vendas sob a marca Perdigão”, afirmou a empresa em comunicado oficial.

O impacto para a Batavo será ainda maior. Além dos produtos citados acima, a marca não poderá vender, por quatro anos, margarina, peru in natura, mortadela, aves para festas (como chester), hambúrguer, empanados e salsichas. Desde 2006, a Perdigão detém o controle da Batavo e, por isso, a marca também foi afetada pela fusão com a Sadia.

Na nota divulgada logo após o julgamento da fusão pelo Cade, a BrFoods lembrou que, apesar das restrições, a Perdigão continuará vendendo alimentos processados como empanados, hambúrgueres, mortadelas, linguiças, pratos prontos congelados (exceto lasanha), bacon, aves para festas e todos os produtos in natura que constam do portfólio da empresa.

Além da retirada temporária de produtos, o Cade determinou a venda de várias marcas e unidades de negócios da BrFoods para manter o ambiente de concorrência no setor alimentício. Serão vendidas as marcas Rezende, Wilson, Texas, Tekitos, Patitas, Escolha Saudável, Light Ellegant, Fiesta, Freski, Confiança, Doriana e Delicata.

A BrFoods também será obrigada a vender dez fábricas de alimentos processados, dois abatedouros de suínos, dois abatedouros de aves, quatro fábricas de ração, 12 granjas de matrizes de frangos, dois incubatórios de aves e oito centros de distribuição.

A BrFoods se comprometeu a manter a qualidade dos produtos e o fornecimento aos pontos de venda até que esses negócios passem para outras empresas.  O acordo firmado com o Cade prevê ainda que o comprador dessas unidades terá que manter o nível de empregos por, pelo menos, seis meses após a troca de comando.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GESTÃO PÚBLICA
Reinaldo Azambuja fala sobre desafios da nova gestão em entrevista à GloboNews
BONITO - MS - CONGRESSOS DE NETWORKING
Bonito (MS) receberá pelo menos 10 mil visitantes na baixa temporada em busca de networking em 2019
AGORA DEU MEDO
PMA captura cascavel de 1,3 metros em residência na Capital
GERAL
Em MS, 38 radares voltam a operar na BR-163 a partir da próxima semana
TEMPO E TEMPERATURA
Alerta: 24 cidades de MS estão com aviso de tempestade de perigo potencial
BONITO - MS - POLÍCIA
Vítima de 'estupro virtual' volta para casa e retoma rotina na escola em Bonito (MS)
GERAL
Sistema do Detran-MS continua fora do ar nesta quarta-feira
GERAL
Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
COTA ZERO
Deputados pedem que caça do jacaré seja liberada
POLÍCIA
Homem é preso, suspeito de exploração sexual de criança