Menu
KAGIVA
domingo, 9 de dezembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Produtos da Perdigão e da Batavo sairão das prateleiras por até cinco anos

14 Jul 2011 - 08h16Por Agência Brasil

O acordo firmado ontem (13) entre a Brasil Foods (BrFoods) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para aprovar a fusão dos frigoríficos Perdigão e Sadia terá reflexos para o consumidor acostumado às marcas Perdigão e Batavo. O Cade determinou a retirada do mercado de produtos das duas marcas por até cinco anos.

Por três anos, a BrFoods (holding resultante da fusão) não poderá vender presunto, apresuntado e afiambrado; cortes suínos de festa (lombo, pernil, tender); linguiça e paio. O prazo de suspensão aumenta para quatro anos no caso de salames e para cinco anos para a venda de lasanhas, pizzas congeladas, quibes, almôndegas e frios saudáveis. “O volume sujeito às restrições do TCD [termo de compromisso de desempenho, firmado hoje] representaria em 2010 cerca de um terço das vendas sob a marca Perdigão”, afirmou a empresa em comunicado oficial.

O impacto para a Batavo será ainda maior. Além dos produtos citados acima, a marca não poderá vender, por quatro anos, margarina, peru in natura, mortadela, aves para festas (como chester), hambúrguer, empanados e salsichas. Desde 2006, a Perdigão detém o controle da Batavo e, por isso, a marca também foi afetada pela fusão com a Sadia.

Na nota divulgada logo após o julgamento da fusão pelo Cade, a BrFoods lembrou que, apesar das restrições, a Perdigão continuará vendendo alimentos processados como empanados, hambúrgueres, mortadelas, linguiças, pratos prontos congelados (exceto lasanha), bacon, aves para festas e todos os produtos in natura que constam do portfólio da empresa.

Além da retirada temporária de produtos, o Cade determinou a venda de várias marcas e unidades de negócios da BrFoods para manter o ambiente de concorrência no setor alimentício. Serão vendidas as marcas Rezende, Wilson, Texas, Tekitos, Patitas, Escolha Saudável, Light Ellegant, Fiesta, Freski, Confiança, Doriana e Delicata.

A BrFoods também será obrigada a vender dez fábricas de alimentos processados, dois abatedouros de suínos, dois abatedouros de aves, quatro fábricas de ração, 12 granjas de matrizes de frangos, dois incubatórios de aves e oito centros de distribuição.

A BrFoods se comprometeu a manter a qualidade dos produtos e o fornecimento aos pontos de venda até que esses negócios passem para outras empresas.  O acordo firmado com o Cade prevê ainda que o comprador dessas unidades terá que manter o nível de empregos por, pelo menos, seis meses após a troca de comando.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DA G.M DE BONITO
Guarda Municipal de Bonito prende condutor embriagado em flagrante
AÇÕES DA GUARDA MUNICIPAL DE BONITO
Menores são presos por estarem destruindo o patrimônio público em Bonito
CONCURSOS
EDITAL da Polícia Militar abre 120 vagas com salário de R$ 5.769,42
TECNOLOGIA - ANDROIDS
Estes 22 apps detonam a bateria de milhões de Androids; veja a lista
BONITO - MS - NO JAPÃO - MMA
Bonitenses Sidy Rocha e a Edna Trakinas lutam neste domingo em Tokyo no Japão
BONITO - MS - AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Governador entrega na terça-feira mais de R$ 36 milhões em obras em Bonito (MS)
DOR E TRISTEZA
Gabrielly começou a ser agredida por colegas após presentear professora, diz família
GOVERNADOR DO RJ PRESO EM OPERAÇÃO
Pezão participa de hasteamento da bandeira em presídio de Niterói
BONITO - MS - EDUCAÇÃO INFANTIL
Bonito (MS) inova na educação infantil e terá jornada integral e parcial na Rede Municipal de Ensino
EM CIDADE DO MS - CRIME
Em MS, Homens são mortos com requintes de crueldade e polícia suspeita de latrocínio