Menu
ASSOMASUL MARÇO
quarta, 24 de abril de 2019
mutantes
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Produtor já oferece grama sem pragas

29 Jun 2011 - 12h31Por Estadão.com

Grama é um produto agrícola. Exige sementes ou mudas certificadas, solos corrigidos, drenados e adubados, irrigação e fertilização, além de muitos cuidados sanitários. A colheita tem de ser mecanizada para a garantia de padrão e qualidade. Só assim o consumidor, ao adquirir aqueles tapetes verdinhos na loja de paisagismo ou nas centrais de abastecimento, não vai se surpreender quando, em vez da grama, tiver adquirido também trevo, picão, carrapicho, guanxuma e outras pragas.

Aproveitando a proximidade da Copa do Mundo, que será disputada em nosso País, em 2014, a Associação dos Gramicultores do Brasil (Agrabrás) desenvolveu o projeto Grama Legal, para conscientizar sobre a importância de adquirir produto que tenha procedência. O cuidado vale para todo tipo de grama, desde aquela usada no jardim de casa, com efeito decorativo, como a das ruas, praças e avenidas, e ainda a funcional, que protege taludes contra a erosão ou é usada para a prática de esportes. A entidade estima que, apenas para atender às seleções que estarão no País para a Copa, será preciso construir ou reformar pelo menos cem campos de futebol - algo em torno de 1 milhão de metros quadrados de grama.

Contra a pirataria. Conforme a associação, os gramicultores também sofrem com a pirataria, que gera a concorrência desleal, como a dos CDs, DVDs, roupas, bolsas e tênis de grife, pirateados. Por isso, o plano da Agrabrás é mobilizar esforços para que toda a cadeia produtiva siga à risca a legislação que regula o setor.

O conjunto de regras foi definido pelo Ministério da Agricultura e exige que o produtor tenha inscrição no Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem). "O que ocorre na prática, porém, é que, como não há fiscalização, existe uma grande oferta de gramas que não seguem nenhuma regra, não têm garantia de origem e seus produtores não pagam impostos", diz a representante da Agrabrás, Paula Arigoni.

Além da sonegação fiscal, muitas gramas vendidas são nativas e retiradas de propriedades sem comprometimento ambiental. "Por falta de fiscalização, a grama é retirada de áreas proibidas, como margens de rios e córregos, provocando empobrecimento dos solos, erosão e assoreamento de rios", diz Paula. Ela diz que há em São Paulo 200 produtores que cultivam 20 variedades de grama, como esmeralda, são carlos, santo agostinho, esmeralda imperial e bermudas. "Estima-se, porém, que o mercado das gramas não cultivadas represente cerca de 60%." A mais comum é a batatais, retirada na base da enxada e muito usada nas margens de rodovias.

A proposta da Agrabrás é coibir a grama pirata e tornar os preços e a qualidade competitivos no mercado de forma honesta. O benefício dessa mobilização favorece também o consumidor final, que comprará um produto livre de pragas, doenças e plantas daninhas.

"O consumidor deve perguntar sobre a origem da grama e checar se o produtor tem inscrição no Renasem." A inscrição é obrigatória nos termos da Lei 10.711, de 5/8/2003, e passa a constar da nota fiscal do produto, que deve ser verificada pelo consumidor. O Sistema Nacional de Sementes e Mudas exige que a produção da grama seja controlada em todas as etapas. Também exige que um responsável técnico acompanhe a produção para que o consumidor receba o produto da variedade correta, no padrão de uniformidade desejado e isento de pragas. A lei prevê multa de até 250% do valor do produto se a norma for descumprida.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
MS tem saldo acumulado de 10.570 empregos com carteira assinada gerados no ano
POLÍCIA
Polícia Civil participa de operação nacional para cumprir mandados de prisão contra foragidos
POLÍTICA
Lama Asfáltica: 3ª Vara nega novo pedido para que ação vá para a Justiça Eleitoral
LOTERIA
Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira o maior prêmio deste ano
CIDADES
Com rios entupidos por vegetação ribeirinhos do Pantanal de MS são levados para médico de helicópter
BONITO - MS - TRABALHO LEGISLATIVO
Confira o trabalho do seu vereador durante sessão ordinária da Câmara em Bonito (MS)
BONITO - MS - NA CÂMARA
Vereadores solicitam que antiga iluminação do CMU seja aproveitada em bairros de Bonito (MS)
EMPREGOS E CONCURSOS
Governo de MS divulga inscrições para pós-graduação em saúde pública
GERAL
Polícia Civil deflagra arrastão para capturar foragidos em MS
ESTELIONATO
Major morto em Bonito tem documentos falsificados e golpe pode chegar até R$ 50 mil por trio