Menu
KAGIVA
quarta, 23 de janeiro de 2019
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
UNIPAR_PC
Bonito - MS

Presidentes dos COEGEMAS reúnem-se com secretária nacional em Brasília

Os representantes dos colegiados reivindicam o direito de discutir o plano antes que ele seja colocado em prática

7 Dez 2011 - 07h30Por Luciana Garcia/Assessoria

Presidentes de diversos Colegiados Estaduais de Gestores Municipais de Assistência Social (COEGEMAS) reuniram-se em Brasília, no último dia 28, com a secretária nacional de Assistência Social, Denise Colim.  O objetivo foi discutir questões referentes ao Programa Brasil Sem Miséria que será implementado pelo Governo Federal em parceria com Estados e municípios.

O grande desafio do Brasil Sem Miséria será elevar a renda e as condições de bem-estar da população. Através dele famílias extremamente pobres, cuja renda seja de até R$ 70 por pessoa, e que ainda não estejam sendo atendidas, serão localizadas e incluídas de forma integrada nos mais diversos programas de acordo com as suas necessidades.

Segundo a presidente do COGEMAS/MS, Izabel Aivi de Figueiredo, os representantes dos colegiados reivindicam o direito de discutir o plano antes que ele seja colocado em prática, argumentando que o Governo Federal é quem lança todos os programas mas que  a sua aplicação real acaba recaindo sobre os municípios.

 “Nós entendemos que como gestores do dia a dia da Assistência Social do país é importante que nós possamos participar ativamente da definição do formato desse novo programa, que será, na realidade, executado pelos municípios. Nós reivindicamos também, durante o encontro com a secretária nacional, o aumento dos recursos para a Assistência Social dos municípios em todo o país. É necessária uma revisão urgente da Lei de Responsabilidade Fiscal nessa área - porque a demanda é cada vez maior - nós precisamos contratar mais técnicos para desenvolver os programas do Governo Federal e sem o aumento dos recursos fica complicado”.

 

Saiba Mais:

O Plano Brasil Sem Miséria agrega transferência de renda, acesso a serviços públicos, nas áreas de educação, saúde, assistência social, saneamento e energia elétrica, e inclusão produtiva. Com um conjunto de ações que envolvem a criação de novos programas e a ampliação de iniciativas já existentes, em parceria com estados, municípios, empresas públicas e privadas e organizações da sociedade civil, o Governo Federal quer incluir a população mais pobre nas oportunidades geradas pelo forte crescimento econômico brasileiro.

A expansão e a qualidade dos serviços públicos ofertados às pessoas em situação de extrema pobreza norteiam o Brasil Sem Miséria. Para isso, o plano prevê o aumento e o aprimoramento dos serviços ofertados aliados à sensibilização, mobilização, para a geração de ocupação e renda e a melhoria da qualidade de vida. As ações incluirão os seguintes pontos:

?Documentação;

?Energia elétrica;

?Combate ao trabalho infantil;

?Segurança Alimentar e Nutricional: Cozinhas comunitárias e bancos de alimentos;

?Apoio à população em situação de rua, para que saiam desta condição;

?Educação infantil;

?Saúde da Família;

?Rede Cegonha;

?Distribuição de medicamentos para hipertensos e diabéticos;

?Tratamento dentário;

?Exames de vista e óculos;

?Assistência social, por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS).

Deixe seu Comentário

Leia Também

MIRANDA - MS - AFOGAMENTO
'Prainha', local onde criança morreu afogada já estava interditada por risco de morte em Miranda
BONITO - MS - AÇÃO POLICIAL
Embaixo da ponte sobre o Rio Formoso, PM flagra homem e menores alcoolizados em Bonito (MS)
TRÂNSITO
Acidente entre dois carros na MS-276 deixa mulher presa nas ferragens
BRASIL
Cápsula com césio-137 é achada em ferro velho de Alagoas
GERAL
PVA 2019: pagamento à vista ou primeira parcela vencem dia 31 de janeiro
BONITO - MS
Obras inicia trabalhos de recuperação da estrada da La Lima
LOTERIA
Mega-Sena vai sortear R$ 38 milhões na noite desta quarta-feira
MEIO AMBIENTE
Mais quente do país, MS teve 45ºC de sensação térmica em duas cidades
POLÍCIA
Brasil e Paraguai cercam traficantes em nova rota
PRESIDÊNCIA DO SENADO
Sem acordo, Simone e Renan vão para o enfrentamento