Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quarta, 17 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Presidente Dilma visita hoje o Paraguai em busca de oportunidades de negócios

28 Jun 2011 - 07h37Por Bonito Informa c/informações do site Estadão.com

A presidente Dilma Rousseff desembarca hoje em Assunção, a fim de começar a mudar a relação com o Paraguai. A meta, depois de dobrar o valor pago pela energia de Itaipu Binacional e de acertar o início das obras da linha de transmissão da hidrelétrica até a capital paraguaia, é começar a explorar as perspectivas e investimentos e negócios como país vizinho. Os acordos que vão ser assinados são parcerias que miram a melhora da infraestrutura do Paraguai.

A visita da presidente já foi adiada duas vezes. A primeira, proposta para março, não chegou a ser marcada porque o Congresso brasileiro não havia aprovado o acordo que dobrava o preço da energia de Itaipu e a visita se transformaria, mais uma vez, em um encontro cheio de cobranças. A segunda data era no início de maio, mas foi cancelada por recomendações médicas, já que Dilma ainda se recuperava de uma pneumonia.

Agora, a presidente vai aproveitar a Cúpula do Mercosul para uma reunião bilateral com o presidente paraguaio, Fernando Lugo. A intenção é acertar para breve missões empresariais ao Paraguai. Com a construção da linha de energia e o país crescendo acima de 10%, como no ano passado, o interesse brasileiro pelas oportunidades de negócios foi aguçado. Agricultura, obras de infraestrutura e fábricas de diversas áreas podem render negócios para os empresários brasileiros.

"Entre adultos". A avaliação do governo é que o Paraguai precisa de investimentos e o Brasil pode ter retorno com as oportunidades no país vizinho. Ao mesmo tempo, com a retirada do problema Itaipu do caminho, a conversa agora passa a ser, dizem os diplomatas, "entre adultos".

Os seis acordos que deverão ser assinados por Dilma e Lugo ainda têm o Brasil como referência de país rico e doador, mas são parcerias que apontam para um novo horizonte. O principal deles prevê um ajuste em um acordo já existente de segurança nas fronteiras. Nesse caso, o Brasil dará apoio para a criação de um laboratório de criminalística no Paraguai, além de ajudar a desenvolver um sistema de inteligência policial.

Também está previsto que o Brasil ajude os vizinhos a desenvolver a TV digital no país, já que os paraguaios adotaram o sistema nipo-brasileiro. Além disso, estão na pauta acordos de capacitação de governos locais, de cooperação técnica em agricultura e na área judiciária.

Mercosul. Apesar dos ainda constantes problemas entre os países membros, a Cúpula do Mercosul, que será realizada nesta quarta-feira, não promete grandes decisões. De acordo com o Itamaraty, o momento é de uma "reflexão sobre o futuro", já que em 2010 foram finalmente fechados os últimos acordos de integração aduaneira e de cidadania.

Um dos pontos que deverá ser debatido é a possível ampliação do grupo. A participação efetiva da Venezuela ainda precisa ser votada pelo Congresso paraguaio, que até agora não ratificou a decisão como retaliação ao Brasil pela não aprovação do acordo relativo a Itaipu pelo Congresso.

?

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - RESULTADO DO CONCURSO
Confira os aprovados no concurso público da Câmara em BONITO (MS)
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em quatro anos, governo de MS investe R$ 265 milhões em Corumbá
NA REGIÃO DE BONITO
Motorista morre após caminhão cair de serra na MS-382 na região de Bonito (MS)
ESPORTES
Sete atletas representam MS no Brasileiro de Futebol de Mesa
EDUCAÇÃO
Horário de verão vai começar no mesmo dia da primeira prova do Enem
POLÍTICA
TSE reúne equipes de Bolsonaro e Haddad para discutir fake news
ALERTA DE CHUVA DE GRANIZO NO MS
Instituto alerta para chuvas intensas com possibilidade de granizo em MS
AINDA DESAPARECIDA
Servidora pública do TRE/MS continua desaparecida e familiares pedem ajuda
PESQUISA NO MS
Reinaldo abre 14% e chega com 57% dos votos válidos em nova pesquisa no MS
BRIGA INTERNA EM PLENA CAMPANHA
Conselho de Ética do PDT pede 'cabeça' de Odilon por apoio a Bolsonaro