Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sexta, 14 de dezembro de 2018
KAGIVA
Busca
UNIPAR_PC

Prefeito de Aquidauana é afastado do cargo pela segunda vez em três meses

1 Jul 2011 - 08h32Por Campo Grande News

O prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman (PMDB), foi afastado pela segunda vez do cargo. Por determinação do MPE (Ministério Público Estadual), por meio da Promotoria de Defesa do Patrimônio público, Fauzi foi intimado e afastado por volta das 16 horas desta quinta-feira no momento em que estava no estádio Noroeste, em Aquidauana, palco do segundo jogo da final do Campeonato Estadual.

Além dele, foram afastados os secretários Paulo Goulart, de Finanças, Luzia Elizete Flores, de Educação, Paulo Reis, de Saúde, bem como procurador jurídico do município, André Beda.

A acusação para o afastamento é violação aos princípios da Administração Pública, o que configura improbidade administrativa.

Pesou no afastamento também, segundo decisão judicial, que “os requeridos decidiram tomar uma decisão prática e inusitada, que poria fim àquela incômoda situação: simplesmente não mais atenderiam aos pedidos encaminhados pelo Ministério Público” desde abril de 2010.

A decisão atesta que, no total, o prefeito “ignorou 77 ofícios de pedido de informações e requisição de documentos que lhe foram encaminhados pelo Ministério Público”.

O procurador jurídico do município deixou de atender a 74 ofícios, enquanto os secretários de Finanças, de Educação e de Saúde, fizeram "vistas grossas" a 50 ofícios.

O texto ainda aponta que, apenas na Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, existem 30 inquéritos para apurar irregularidades na prefeitura e ainda afirma que os afastados atrapalharam as investigações.

Outro lado - Em entrevista por telefone ao Campo Grande News, Fauzi Suleiman afirmou que não há fato novo nas denúncias e que “estão requentando” as acusações para prejudicar sua administração. O peemedebista declarou que seus advogados já estão recorrendo da decisão e que vai respeitar a Justiça.

“Tenho certeza que a Justiça do Estado, que está distante da paixão política do município, vai ter serenidade para julgar o caso”, declarou Suleiman.

No dia 20 de abril, depois de ter sido reconduzido ao cargo após o primeiro afastamento, Fauzi esteve em Campo Grande e concedeu entrevista coletiva para se defender das acusações.

À época, alegou que a prova que gerou a denúncia é ilegal. Fauzi garantiu que a gravação feita pelo vereador Wezer Lucarelli (PPS), com um ex-assessor da prefeitura de Aquidauana, foi obtida por meio de suborno no valor de R$ 50 mil. “Foi criado um clima de fantasias num cunho político e de denuncismo através de uma prova ilegal e ilícita obtida por meio de oferta de dinheiro. O Ministério Público foi induzido ao erro”, afirmou.

Lucarelli confirmou ao Campo Grande News que as denúncias que apresentou geraram os inquéritos em Aquidauana. "Mesmo afastado e estando no cargo por liminar o prefeito não apresentou documentos", disse.

Segundo a promotoria, a recusa, retardamento ou a omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, quando requisitados pelo Ministério Público, é crime, punido com pena de reclusão de um a três anos, mais multa. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - MEDIDAS TOMADAS
Governo de MS adota medidas de contenção de erosão para preservar os rios de Bonito
BONITO - MS - HOMENAGEADO
Gruta do Lago Azul era para dar tiro e fazer churrasco, conta guia pioneiro de Bonito (MS)
GOVERNO DO MS - CONQUISTA
Com 86% das metas cumpridas, Reinaldo se reúne com eleitos e traça projetos para 2019
BONITO - MS - RÉVEILLON 2019 -
Prefeitura divulga regulamento sobre as festividades do Réveillon 2019 em Bonito (MS)
CORPO ENCONTRADO EM RIO DE MS
Bombeiros localizam o corpo do homem que sumiu na pescaria em MS
BONITO - MS - NOVA DIRETORIA DA OAB
Nova diretoria da 23ª subseção da OAB de Bonito toma posse
RIO DA PRATA DE VOLTA
'Clareza' do Rio da Prata aparece e semana é marcada por audiência e clamor popular em Bonito (MS)
DUAS MORTES POR RAIOS NO MS
Tempestade surpreende e dois morrem atingidos por raios em MS
GOVERNO DO MS - EM 2019
No 2º mandato, Reinaldo vai doar metade do salário a entidades
BONITO - MS - TÁ NA CONTA
Prefeitura Municipal deposita 2ª parcela do 13º salário em Bonito (MS)